Mercado fechará em 1 h 19 min
  • BOVESPA

    95.811,30
    +442,54 (+0,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.917,96
    -475,75 (-1,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,18
    -1,21 (-3,24%)
     
  • OURO

    1.869,00
    -10,20 (-0,54%)
     
  • BTC-USD

    13.550,63
    +395,26 (+3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    266,41
    +23,73 (+9,78%)
     
  • S&P500

    3.311,65
    +40,62 (+1,24%)
     
  • DOW JONES

    26.681,17
    +161,22 (+0,61%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.369,50
    +236,75 (+2,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7249
    -0,0095 (-0,14%)
     

Estudos clínicos da vacina do Butantan terminam neste fim de semana, diz Doria

Ana Paula Machado
·1 minuto de leitura

O governador de São Paulo, João Doria, disse hoje que a vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan e a chinesa Sinovac, deve ter os estudos fase 3 concluídos até o dia 18 de outubro. Segundo o governador, os resultados serão enviados à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já na próxima segunda-feira. “O estudo foi feito em 13 mil médicos e enfermeiros, em sete Estados brasileiros seguindo os protocolos científicos e com acompanhamento de um comitê independente e da Anvisa. Não há razões para desconfiar da transparência desses ensaios. Não se coloca dúvida na questão científica. Assim como não colocamos dúvidas sobre outras vacinas”, disse o governador. O Butantan começou os estudos clínicos dessa vacina em agosto deste ano e, pelo acordo assinado com a Sinovac, o Instituto será o responsável pela produção do imunizante no Brasil. Para isso, serão necessários investimentos de R$ 160 milhões para a construção da fábrica. Doria informou, ainda, que no dia 21 terá uma reunião com o ministro da saúde Eduardo Pazuello e o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres para informar o andamento do projeto do Butantan e para que a vacina do Instituto seja colocada no Plano Nacional de Imunização (PNI). “A nossa posição é de não politizar a vacina, pois, entendemos que a vacina não pode estar contaminada por ideologias. Precisaremos de mais de uma vacina e quanto mais vacinas aprovadas mais brasileiros estarão a salvo da covid.”