Mercado fechado

Estudo investiga efeitos do programa de gestão do sangue do paciente com o Masimo SpHb®, monitoramento de hemoglobina contínuo não invasivo, no pós operatório de pacientes com câncer

·11 minuto de leitura

Controle de sangue do paciente com Masimo SpHb Adequação aumentada de transfusão e unidades de hemácias diminuídas transfundidas por paciente

Masimo (NASDAQ: MASI) anunciou hoje os resultados de um estudo publicado na Blood Transfusion no qual a Dra. Lucia Merolle e colegas da Azienda USL-IRCCS de Reggio Emilia, Itália, investigaram o impacto da aplicação de um programa de gestão de sangue de pacientes, incluindo o uso de monitoramento de hemoglobina não invasivo e contínuo, Masimo SpHb®, para o cuidado de pacientes com câncer pós-operatório.1 O estudo descobriu que o uso de SpHb como parte de um programa de gerenciamento de sangue de pacientes não só aumentou a frequência com que as transfusões de sangue pós-operatórias eram apropriadas, mas diminuiu o número total e médio de unidades de sangue transfundidas por paciente.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20201117006298/pt/

Masimo Radical-7® with SpHb® (Photo: Business Wire)

A gestão de sangue do paciente (Patiet Blood management, PBM) é "uma abordagem multidisciplinar baseada em evidências que visa otimizar o atendimento aos pacientes que podem precisar de transfusões de sangue". Ao reconhecer que a PBM pode ter benefícios específicos para pacientes de oncologia cirúrgica, os pesquisadores implementaram um programa de PBM em duas etapas e compararam três grupos de pacientes adultos com câncer pós-operatórios submetidos a cirurgias de grande porte entre 2014 e 2017. A 1.ª etapa de PBM incluiu seminários e treinamento projetados para ensinar ao pessoal pós-cirúrgico semi-intensivo os princípios de PBM. A 2.ª etapa adicionou o uso de SpHb monitorado com Masimo Radical-7® CO-Oxímetros de pulso® com SpHb. A 1.ª auditoria revisou os dados de 200 pacientes cujos cuidados pós-cirúrgicos não incorporaram a PBM. A 2.ª auditoria foi de 200 pacientes cujos cuidados incorporaram a 1.ª etapa de PBM, e a 3.ª auditoria foi de 200 pacientes cujos cuidados incorporaram a 2.ª etapa de PBM junto com monitoramento contínuo de SpHb.

Usando as diretrizes desenvolvidas pela Sociedade Italiana de Medicina de Transfusão e Imunohematologia (Società Italiana di Medicina Trasfusionale e Immunoematologia, SIMTI), os pesquisadores descobriram que a adequação da transfusão aumentou de 38% nos pacientes da 1.ª auditoria, para 75% nos pacientes da 2.ª auditoria (1.ª etapa de PBM), para 79% nos pacientes da 3.ª auditoria (2.ª etapa de PBM, com SpHb). O número total de unidades de glóbulos vermelhos (RBC) transfundidas foi semelhante para os pacientes na 1.ª auditoria e na 2.ª Auditoria (52 e 58 unidades, respectivamente), mas caiu para 39 unidades com a adição de monitoramento de SpHb ao PBM (3.ª Auditoria). O número médio de unidades de hemácias transfundidas foi o mesmo para os pacientes da 1.ª Auditoria e 2.ª Auditoria (1,8 unidades / paciente), mas novamente, com a adição do monitoramento de SpHb (3.ª Auditoria), a média caiu para 1,3 unidades / paciente.

Os pesquisadores concluíram: "Nosso pacote de PBM teve um efeito positivo na adequação da transfusão de hemácias em pacientes com câncer pós-cirúrgico, tanto em termos de qualidade quanto de quantidade. Um programa de PBM estruturado especificamente dedicado à oncologia cirúrgica deve cobrir todo o período perioperatório e pode melhorar ainda mais a adequação da transfusão nesses pacientes. A publicação de diretrizes sobre o tratamento da anemia em oncologia cirúrgica deve ser uma prioridade."

Em outros estudos clínicos, o monitoramento contínuo com a SpHb como parte dos programas de PBM encontrou melhoras nos resultados, como a redução do percentual de pacientes recebendo transfusões,2 reduzindo as unidades de hemácias de transfusão por paciente,3-4 reduzindo o tempo de transfusão,5 custos6 e até a mortalidade 30 e 90 dias após a cirurgia em 33% e 29%, respectivamente.7 Com a adição do estudo italiano, a evidência do impacto do SpHb nos resultados abrange todo o mundo, representando seis países em quatro continentes diferentes.1-7 Atualmente, a tecnologia SpHb dá suporte aos médicos em mais de 75 países em todo o mundo.8

A SpHb não tem a finalidade de substituir o exame de sangue laboratorial. Decisões clínicas relativas a transfusão de glóbulos vermelhos devem ser baseadas no julgamento do médico, considerando, entre outros fatores: a condição do paciente, o monitoramento contínuo do SpHb e exames de diagnóstico laboratoriais usando amostras de sangue.

@Masimo | #Masimo

Sobre a Masimo

A Masimo (NASDAQ: MASI) é uma empresa médica global que desenvolve e produz uma vasta gama de tecnologias líderes no setor, o que inclui soluções inovadoras de aferição, sensores, monitores de pacientes, automação e conectividade. Nossa missão é melhorar os resultados do paciente e reduzir o custo do tratamento. O SET® da Masimo, por meio de oximetria de pulso Measure-through Motion and Low Perfusion™, introduzida em 1995, mostrou em mais de cem estudos independentes e objetivos que supera outras tecnologias de oximetria de pulso.9 O SET® da Masimo também demonstrou ajudar médicos a reduzir a retinopatia de prematuridade em neonatos,10 aumentou a detecção de CCC em recém-nascidos11 e, ao ser utilizado para monitoramento contínuo com o sistema Patient SafetyNet™ da Masimo em enfermarias pós-cirúrgicas, reduziu custos, transferências de UTI e ativações de resposta de emergência rápidas.12-15 Estima-se que o SET® da Masimo seja utilizado em mais de 200 milhões de pacientes em importantes hospitais e outras unidades de tratamento médico de todo o mundo16 e que seja a oximetria de pulso principal em nove de cada dez hospitais de acordo com a Lista de Honra dos Melhores Hospitais da U.S. News & World Report em 2020–2021.17 A Masimo continua aprimorando o SET® e anunciou em 2018 que a precisão de SpO2 em sensores RD SET® em condições de movimento foi melhorada significativamente, o que proporcionou aos médicos mais confiança de que os valores de SpO2 dos quais eles dependem reflitam com precisão o estado fisiológico do paciente. Em 2005, a Masimo introduziu a tecnologia rainbow® Pulse CO-Oximetry, permitindo o monitoramento não invasivo e contínuo dos componentes sanguíneos que anteriormente só podiam ser verificados invasivamente, inclusive a hemoglobina total (SpHb®), teor de oxigênio (SpOC™), carboxihemoglobina (SpCO®), metemoglobina (SpMet®), os índices Pleth Variability Index (PVi®), RPVi™ (rainbow® PVi) e o Oxygen Reserve Index (ORi™). Em 2013, a Masimo introduziu o monitoramento de paciente Root® e a Connectivity Platform (plataforma de conectividade), construídos do zero para serem o mais flexíveis e expansíveis possível para facilitar a adição de outras tecnologias de monitoramento da Masimo ou de terceiros; adições fundamentais da Masimo incluem o equipamento de monitoramento de função cerebral de próxima geração SedLine®, oximetria regional O3® e capnografia ISA™ com tubos de amostragem NomoLine®. A família de Pulse CO-Oximeters® de monitoramento pontual da Masimo inclui dispositivos projetados para uso em diversas situações clínicas e não clínicas, incluindo tecnologia sem fio e vestíveis, tais como Radius-7® e Radius PPG™, dispositivos portáteis como Rad-67™, oxímetros de pulso de dedo como o MightySat® Rx e dispositivos disponíveis para uso, seja em um hospital ou em casa, como o Rad-97®. As soluções de automação e conectividade hospitalar da Masimo estão baseadas na plataforma Masimo Hospital Automation™ e incluem Iris Gateway®, Patient SafetyNet, Replica™, Halo ION™, UniView™, UniView: 60™ e SafetyNet™ da Masimo. Outras informações sobre a Masimo e seus produtos estão disponíveis no site www.masimo.com. Os estudos clínicos publicados sobre os produtos da Masimo estão disponíveis em www.masimo.com/evidence/featured-studies/feature/.

ORi e RPVi não receberam liberação FDA 510(k) e não estão disponíveis para venda nos Estados Unidos. A marca comercial Patient SafetyNet é usada sob licença da University HealthSystem Consortium.

Referências

  1. Merolle L, Marraccini C, Di Bartolomeo E, Montella M, Pertinhez T, Baricchi R, Bonini A. Postoperative patient blood management: transfusion appropriateness in cancer patients. Blood Transfus 2020; 18: 359-65 DOI 10.2450/2020.0048-20.

  2. Ehrenfeld JM et al. Continuous Non-invasive Hemoglobin Monitoring during Orthopedic Surgery: A Randomized Trial. J Blood Disorders Transf. 2014. 5:9. 2.

  3. Awada WN et al. Continuous and noninvasive hemoglobin monitoring reduces red blood cell transfusion during neurosurgery: a prospective cohort study. J Clin Monit Comput. 4 fev 2015.

  4. Imaizumi et al. Continuous and noninvasive hemoglobin monitoring may reduce excessive intraoperative RBC transfusion. Procedimentos do 16º Congresso Mundial de Anestesistas, Hong Kong. Abstract #PR607.

  5. Kamal AM et al. The Value of Continuous Noninvasive Hemoglobin Monitoring in Intraoperative Blood Transfusion Practice During Abdominal Cancer Surgery. Open J Anesth. 2016;13-19.

  6. Ribed-Sánchez B et al. Economic Analysis of the Reduction of Blood Transfusions during Surgical Procedures While Continuous Hemoglobin Monitoring is Used. Sensores. 2018, 18, 1367; doi:10.3390/s18051367.

  7. Cros J et al. Continuous hemoglobin and plethysmography variability index monitoring can modify blood transfusion practice and is associated with lower mortality. J Clin Monit Comp. 3 Aug 2019. https://doi.org/10.1007/s10877-019-00367-z.

  8. Dados arquivados sobre a Masimo.

  9. Estudos clínicos publicados sobre a oximetria de pulso e os benefícios do Masimo SET® estão disponíveis no nosso site em http://www.masimo.com. Estudos comparativos incluem estudos independentes e objetivos compostos por resumos apresentados em reuniões científicas e artigos de periódicos revisados por especialistas.

  10. Castillo A et al. Prevention of Retinopathy of Prematurity in Preterm Infants through Changes in Clinical Practice and SpO2 Technology. Acta Paediatr. Fev 2011;100(2):188-92.

  11. de-Wahl Granelli A et al. Impact of pulse oximetry screening on the detection of duct dependent congenital heart disease: a Swedish prospective screening study in 39,821 newborns. BMJ. 2009;Jan 8;338.

  12. Taenzer A et al. Impact of pulse oximetry surveillance on rescue events and intensive care unit transfers: a before-and-after concurrence study. Anesthesiology. 2010:112(2):282-287.

  13. Taenzer A et al. Postoperative Monitoring – The Dartmouth Experience. Anesthesia Patient Safety Foundation Newsletter. Primavera-verão 2012.

  14. McGrath S et al. Surveillance Monitoring Management for General Care Units: Strategy, Design, and Implementation. The Joint Commission Journal on Quality and Patient Safety. 2016 Jul;42(7):293-302.

  15. McGrath S et al. Inpatient Respiratory Arrest Associated With Sedative and Analgesic Medications: Impact of Continuous Monitoring on Patient Mortality and Severe Morbidity. J Patient Saf. 2020 14 Mar. DOI: 10.1097/PTS.0000000000000696.

  16. Estimativa: Dados arquivados sobre a Masimo.

  17. http://health.usnews.com/health-care/best-hospitals/articles/best-hospitals-honor-roll-and-overview.

Declarações prospectivas

Este comunicado de imprensa inclui declarações prospectivas conforme definido na seção 27A da Lei de Valores Mobiliários de 1933, e seção 21E da Lei de Bolsa de Valores de 1934, em conexão com a Lei de Reforma de Controvérsias de Títulos Privados de 1995. Essas declarações prospectivas incluem, entre outras, declarações associadas à potencial eficácia do Masimo SpHb®. Essas declarações prospectivas têm como base as expectativas atuais quanto a eventos futuros que nos afetam e estão sujeitas a riscos e incertezas, todos de difícil previsão e muitos deles além do nosso controle, os quais podem fazer com que nossos resultados sejam materialmente diversos e adversos em relação àqueles expressos em nossas declarações prospectivas, como resultado de diversos fatores de risco que incluem, entre outros: riscos associados às nossas suposições quanto à capacidade de repetição dos resultados clínicos; riscos associados à nossa convicção de que as tecnologias exclusivas de medição não invasiva da Masimo, inclusive o SpHb da Masimo, contribuem para resultados clínicos positivos e para a segurança dos pacientes; riscos associados à nossa convicção de que as inovações médicas não invasivas da Masimo oferecem soluções economicamente acessíveis e vantagens exclusivas; riscos relacionados à COVID-19; bem como outros fatores mencionados na seção "Fatores de risco" dos nossos relatórios mais recentes protocolados na Comissão de Títulos e Valores Mobiliários (Securities and Exchange Commission, SEC), os quais podem ser obtidos gratuitamente no site da SEC em www.sec.gov. Apesar de acreditarmos que as expectativas refletidas em nossas declarações prospectivas sejam razoáveis, não sabemos se nossas expectativas serão corretas. Todas as declarações prospectivas incluídas neste comunicado de imprensa são expressamente qualificadas em sua totalidade pelas declarações de advertência precedentes. Advertimos os leitores a não confiar indevidamente nessas declarações prospectivas, que dizem respeito apenas à data de hoje. Não assumimos qualquer obrigação de atualizar, corrigir ou esclarecer tais declarações ou os "Fatores de risco" descritos em nossos mais recentes relatórios protocolados junto à Comissão de Valores Mobiliários (SEC), seja ou não como resultado de novas informações, eventos futuros ou de outra forma, exceto conforme possa ser exigido pelas leis de valores mobiliários aplicáveis.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Ver a versão original em businesswire.com: https://www.businesswire.com/news/home/20201117006298/pt/

Contacts

Masimo
Evan Lamb
949-396-3376
elamb@masimo.com