Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.608,76
    -345,14 (-0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.036,38
    +293,23 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,45
    +2,02 (+1,86%)
     
  • OURO

    1.810,10
    +8,60 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    20.233,39
    +939,06 (+4,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    439,37
    +19,23 (+4,58%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.232,65
    +64,00 (+0,89%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.694,75
    +83,50 (+0,72%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5471
    -0,0069 (-0,12%)
     

Estudo destaca quais são as marcas mais fortes e valiosas do Brasil em 2022

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Nubank, Google e Mercado Livre são as marcas mais valiosas do Brasil, de acordo com um estudo global do Brand Asset Valuator (BAV), ferramenta da agência de publicidade WPP. O resultado foi apresentado no prêmio As Marcas Mais Valiosas do Brasil 2022, evento realizado na sexta-feira (10).

O Nubank liderou o ranking As Marcas Brasileiras Mais Fortes, enquanto Google esteve no topo da lista Marcas Internacionais Mais Fortes Presentes no Brasil, e o Mercado Livre esteve à frente das Marcas Brasileiras Mais Valiosas — o grupo foi criado na Argentina, mas tem forte representação no Brasil.

A análise de dados e a elaboração dos rankings foi realizada pela Superunion, consultoria de marca da WPP, e pela TM20. A Economatica, Brazil Panels, ESPM e Grey foram parceiras do projeto.

Como foram os estudos das maiores marcas do Brasil

O primeiro estudo, das marcas brasileiras mais fortes, só considerou empresas de origem brasileira ou com operação forte no país. Os dados do BAV para o Brasil se baseiam em pesquisa qualitativa com 16 mil entrevistados em 132 categorias ao longo do segundo semestre de 2021, abrangendo mais de 1.600 marcas.

Foram consideradas marcas fortes aquelas com motores de crescimento e geração de valor, com base em um pilar chamado Força da Marca (Brand Strength), que por sua vez é composto pela combinação de Diferenciação e Relevância. A lista mostrou-se diversificada, com nomes que vão à Tramontina (utensílios de aço) a Sebrae (incentivo a empresas).

Google foi a marca global mais forte do Brasil em 2022, segundo estudo (Imagem: Paweł Czerwiński/Unsplash)
Google foi a marca global mais forte do Brasil em 2022, segundo estudo (Imagem: Paweł Czerwiński/Unsplash)

Para a de marcas internacionais mais fortes no Brasil, foi aplicada a mesma pesquisa de dados, que viu uma consolidação de empresas multinacionais de tecnologia, plataformas de redes sociais, streaming, produtos e plataformas tecnológicas. A Disney foi a única do top 10 que não tem origem no mundo digital.

Já no terceiro ranking, de marcas brasileiras mais valiosas, houve um cruzamento dos dados do BAV e dos parceiros Economatica e Brazil Panels com uma análise financeira de valoração da TM20. Assim, o estudo calculou os valores das principais marcas brasileiras. O líder Mercado Livre atingiu R$ 11,4 bilhões.

“Muito interessante perceber como o contexto no qual vivemos os dois últimos anos, bem como a intensa digitalização dos negócios modifica a paisagem que nos acostumamos a ver das marcas mais fortes ou valiosas. Novos hábitos, novos comportamentos dos consumidores, em jornadas híbridas são, de certa forma, capturados pelo estudo que desenvolvemos”, explica Marcelo Bicudo, CEO da Superunion Brasil.

Marcas mais fortes do Brasil

1. Nubank
2. Tramontina
3. iFood
4. O Boticário
5. Lojas Americanas
6. Magazine Luiza
7. Natura
8. Sebrae
9. Cacau show
10. Brastemp

Marcas Globais mais Fortes no Brasil

1. Google
2. YouTube
3. WhatsApp
4. Netflix
5. Instagram
6. Windows
7. Samsung
8. Android
9. Disney
10. Apple

Marcas mais Valiosas do Brasil

1. Mercado Livre - R$ 11,4 bilhões
2. Itaú - R$ 8,2 bilhões
3. Bradesco - R$ 4,2 bilhões
4. Vivo - R$ 3,7 bilhões
5. Nubank - R$ 3,6 bilhões
6. Natura - R$ 2,9 bilhões
7. Magazine - R$ 2,5 bilhões
8. Skol - R$ 1,7 bilhão
9. Petrobras - R$ 1,7 bilhão
10. Atacadão (Carrefour) - R$ 1,6 bilhão

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos