Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.041,32
    +1.477,61 (+3,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Estudo: cães e gatos com covid-19 estão desenvolvendo doenças cardíacas

·2 min de leitura

Até agora, a maioria das infecções do coronavírus SARS-CoV-2 em animais domésticos tendem a ser assintomáticas. No entanto, um novo estudo apontou para o risco de miocardite — um tipo de inflamação que afeta o coração, considerada grave — em cachorros e gatos. Os animais foram contaminados pela variante Alfa (B.1.1.7) do vírus da covid-19, identificada pela primeira vez no Reino Unido.

Publicado na revista científica VetRecord, o estudo observou que a maioria dos animais apresentou a doença depois que seus tutores foram infectados pelo coronavírus. Por enquanto, "não se sabe se a variante B.1.1.7 do Reino Unido pode infectar mais facilmente certas espécies animais ou aumentar a possibilidade de transmissão de pessoa para animal", explicam os autores.

Cães e gatos podem apresentar complicações cardíacas em decorrência do coronavírus (Imagem: Reprodução/Andrew S/Unsplash)
Cães e gatos podem apresentar complicações cardíacas em decorrência do coronavírus (Imagem: Reprodução/Andrew S/Unsplash)

No total, o levantamento identificou seis animais que foram infectados pela covid-19 e apresentaram complicações cardíacas da doença. Metade deles testou positivo em exame do tipo RT-PCR, enquanto a outra metade apresentou anticorpos contra SARS-CoV-2 2, em média, 6 semanas após desenvolverem sinais de doença cardíaca.

"Muitos tutores desses animais de estimação desenvolveram sintomas respiratórios de 3 a 6 semanas antes de seus animais ficarem doentes e também tiveram resultado positivo para a covid-19", comentam os pesquisadores sobre a possível origem da infecção. Curiosamente, nenhum animal apresentou sintomas respiratórios da covid-19, apenas as alterações cardíacas.

Entenda os resultados do estudo com cães e gatos com covid

"Nosso estudo relata os primeiros casos de cães e gatos afetados pela variante alfa da covid-19 e destaca, mais do que nunca, o risco de que animais de companhia possam ser infectados pelo SARS-CoV-2", explicou Luca Ferasin, um dos autores do estudo e pesquisador do Ralph Veterinary Referral Centre, no Reino Unido.

“Também relatamos as manifestações clínicas atípicas caracterizadas por anormalidades cardíacas graves, que é uma complicação bem conhecida em pessoas afetadas pela covid-19, mas nunca descrita em animais de estimação antes", comentou Fersain.

"No entanto, a infecção por covid-19 em animais de estimação permanece uma condição relativamente rara e, com base em nossas observações, parece que a transmissão ocorre de humanos para animais de estimação, ao invés do contrário”, completou o pesquisador.

Para acessar o estudo completo sobre os animais domésticos infectados pela variante Alfa do coronavírus, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos