Mercado abrirá em 9 h 57 min
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.781,30
    +3,90 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    33.813,62
    +970,89 (+2,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    810,10
    +15,78 (+1,99%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.603,44
    +293,68 (+1,04%)
     
  • NIKKEI

    28.916,68
    +32,55 (+0,11%)
     
  • NASDAQ

    14.293,00
    +34,75 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9128
    -0,0070 (-0,12%)
     

Estudo brasileiro associa caso de Covid-19 a síndrome que paralisa o corpo

·2 minuto de leitura
Estudo brasileiro associa caso de Covid-19 a síndrome que paralisa o corpo
Estudo brasileiro associa caso de Covid-19 a síndrome que paralisa o corpo

De acordo com um estudo feito por um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e da Universidade Tiradentes, existe uma associação entre a infecção pelo novo coronavírus e alterações neurológicas que causam a paralisia do corpo, conhecida como a síndrome de Guillan-Barré. A pesquisa foi publicada no The Pediatric Infectious Disease Journal.

As evidências foram observadas após uma adolescente de 17 anos, de Sergipe, ter apresentado sintomas da Covid-19 e desenvolvido a síndrome logo depois. Segundo o relatório do caso, “casos de síndrome de Guillain-Barré (GBS) têm sido associados à infecção por SARS-CoV-2 como resultado de uma resposta imune desregulada com danos em tecidos neuronais”. Este foi o primeiro caso de GBS associado à Covid-19 e indica a invasão direta do vírus no sistema nervoso – inflamação do nervo periférico.

A adolescente apresentou dor na região lombar e fraqueza muscular oito dias depois de ter diarreia intensa e febre. Após 48 horas do início dos sintomas, ela já não conseguia andar. Exames comprovaram a infecção por Covid-19 e posteriormente o diagnóstico de Síndrome de Guillain-Barré. A menina voltou a andar conforme sua recuperação, mas segue fazendo fisioterapia.

Estudo associa Covid-19 a síndrome que paralisa o corpo. Imagem: Shutterstock
Estudo associa Covid-19 a síndrome que paralisa o corpo. Imagem: Shutterstock

A síndrome de Guillan-Barré é uma doença rara em que o sistema imune ataca o sistema nervoso. Ela é autoimune, sendo produzida pelo próprio corpo e pode ser desencadeada por uma infecção bacteriana ou viral aguda. O tratamento requer troca de plasma e terapia da imunoglobulina, além de fisioterapia. Geralmente, pessoas que desenvolvem a condição levam de 6 a 12 meses para uma recuperação completa.

Diante dos fatores para seu desenvolvimento, a doença também chegou a ser associada a casos de infecções por Zika, quando houve a epidemia do vírus no Brasil, em 2015/2016.

Essa foi a primeira vez que foi possível comprovar a relação da Covid-19 com a síndrome de Guillan-Barré.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos