Mercado fechará em 4 h 6 min
  • BOVESPA

    121.152,28
    -2.424,28 (-1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,61
    -438,30 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,08
    -2,48 (-3,51%)
     
  • OURO

    1.810,90
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    39.254,12
    +1.105,68 (+2,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    967,73
    +40,96 (+4,42%)
     
  • S&P500

    4.403,35
    -19,80 (-0,45%)
     
  • DOW JONES

    34.811,99
    -304,41 (-0,87%)
     
  • FTSE

    7.123,86
    +18,14 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.018,75
    -27,50 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1995
    +0,0340 (+0,55%)
     

Estudo aponta que 5% das pessoas com Covid-19 podem sentir sintomas por até três meses

·2 minuto de leitura
Estudo aponta que 5% das pessoas com Covid-19 podem sentir sintomas por até três meses
Estudo aponta que 5% das pessoas com Covid-19 podem sentir sintomas por até três meses

Um estudo realizado na Austrália revelou que 5% das pessoas diagnosticadas com Covid-19 no país ainda apresentavam sintomas três meses após contrair a doença. Além disso, pessoas mais jovens, pacientes sem comorbidades e homens, se recuperam mais rápido. A pesquisa foi publicada na revista The Lancet Regional Health.

Segundo o Medical Xpress, o levantamento acompanhou – por telefone – a recuperação de 94% de todos os casos de Covid-19 no estado australiano de New South Wales entre janeiro e maio de 2020. De 2.904 pessoas diagnosticadas, 80% se recuperaram dentro de um mês, mas quase 5% ainda relataram sintomas persistentes como tosse e fadiga, e 1,8% morreram.

“Sabemos muito sobre apresentações clínicas agudas em que as pessoas acabam no hospital, mas muito menos sobre aquelas que adquirem formas menos graves da doença”, disse a professora associada da UNSW, Dra. Bette Liu, principal autora do relatório.

“Nossos dados demonstram o impacto direto substancial do Covid-19 na saúde da população – e a necessidade de considerar não apenas hospitalizações e mortes, mas também a saúde de longo prazo daqueles com formas menos graves da doença.”

jovem covid
Estudo aponta que 5% das pessoas com Covid-19 podem sentir sintomas por três meses. Deliris/Shutterstock

O estudo, que levou em consideração idade, sexo e a presença de comorbidades, também identificou que 20% dos homens tinham maior probabilidade de se recuperar do que as mulheres.

O estudo ressalta que, apesar de ser o maior relatório já feito sobre recuperação da Covid na Austrália, provavelmente um estudo em escala maior, abrangendo toda a população, resultará em números maiores. Algumas pesquisas já atrelam os efeitos de longo prazo a pelo menos 30% dos diagnosticados com Covid-19.

Para a professora, o “estudo indica que a recuperação prolongada é um problema significativo para muitos australianos” e, mesmo entre os jovens, que se recuperam mais rápido, os dados mostraram que 2% daqueles com menos de 30 anos ainda apresentavam sintomas após três meses.

Leia mais!

Recentemente, um homem de 72 anos, na Inglaterra passou nada menos que 10 meses testando positivo para a Covid-19 e, que ainda hoje, sente os efeitos da doença em seus pulmões. “Não estou 100% porque a covid destruiu meus pulmões, fico sem ar rapidamente”, disse ele em entrevista à BBC.

Estudos de hospitais brasileiros também estão em desenvolvimento e tentam entender a chamada “Covid longa” ou “Covid prolongada”. Um outro relatório feito pelo Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo divulgou que o vírus da Covid-19 pode permanecer ativo no corpo por mais de 14 dias em pacientes infectados que tenham sintomas leves da doença.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos