Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.658,38
    +862,82 (+2,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Estudo aponta fatores de risco para covid grave em crianças

·1 min de leitura

Em novo estudo publicado nesta terça (11) na JAMA Network Open, pesquisadores da Universidade de Calgary e da UC Davis buscaram entender os fatores de risco para covid grave em crianças. Para isso, o grupo acompanhou a situação de 3.200 crianças que procuraram um serviço de emergência por conta da doença.

Do número total de crianças, os pesquisadores notaram que 107 (3%) tiveram resultados graves — como complicações cardíacas, problemas neurológicos ou infecciosos — dentro de duas semanas após visitar uma sala de emergência, enquanto 735 (23%) foram hospitalizadas para tratamento. Quatro crianças morreram.

"O estudo procurou quantificar a frequência e os fatores de risco para resultados graves em crianças com covid-19. Descobrimos que condições crônicas pré-existentes e duração dos sintomas foram fatores de risco importantes para resultados graves", afirma um dos autores do estudo, Dr. Stephen Freedman, em entrevista ao Medical Xpress.

Estudo aponta fatores de risco para covid grave em crianças (Imagem: TrendsetterImages/Envato)
Estudo aponta fatores de risco para covid grave em crianças (Imagem: TrendsetterImages/Envato)

Segundo a análise, crianças que receberam alta do departamento de emergência raramente desenvolvem sintomas mais graves no futuro. "Não há tratamentos específicos para covid grave em crianças no momento, e faltam dados detalhados, portanto o estudo oferece informações importantes no atendimento infantil", conclui Freedman.

No Brasil, a vacinação infantil contra covid-19 começa na próxima sexta (14), contemplando o público de 5 a 11 anos. Mais de 20 milhões de doses da Pfizer foram encomendadas pelo Ministério da Saúde para o primeiro trimestre de 2022.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos