Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.029,73
    +55,36 (+0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Estudantes brasileiros criam robô garçom para trabalhar em bares e restaurantes

Alunos do curso de Engenharia de Controle e Automação do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), em São Caetano do Sul, desenvolveram um robô garçom autônomo que pode ser usado para auxiliar trabalhadores de carne e osso em bares, restaurantes e lanchonetes.

Segundo os estudantes, o protótipo apresentado ao público geral durante a realização da 29.ª edição da Eureka — evento destinado à exposição dos trabalhos de conclusão de curso dos alunos do Instituto Mauá — é ideal para ajudar nos horários de pico ou em ações de marketing do estabelecimento.

“O mundo viu um aumento significativo de robôs autônomos guiados durante a pandemia, especialmente para mitigar a propagação da doença. Por isso, esses bots tornaram-se uma solução eficiente para apoiar funcionários de diversos setores, até mesmo para automatizar uma atividade manual e repetitiva”, explica o estudante Leonardo Moraes Ayres da Silva, coautor do projeto.

Aprendiz de garçom

A ideia do robô garçom autônomo é que ele possa oferecer um suporte eficiente, seguro e rápido para o transporte de alimentos dentro de estabelecimentos comerciais, sem prejudicar o andamento do serviço ou atrapalhar clientes e funcionários de verdade.

Protótipo do robô garçom (Imagem: Reprodução/IMT)
Protótipo do robô garçom (Imagem: Reprodução/IMT)

No sistema de autonomia criado pelos estudantes, o robô garçom segue uma linha pintada no chão, utilizando sensores de refletância para guiá-lo da cozinha até o salão do restaurante. Com um design inspirado em prateleira empilhadas, o bot consegue levar até quatro pratos de comida simultaneamente.

“Ao retirar o alimento, o cliente aciona um comando no próprio robô, para que ele volte à cozinha. Sensores ultrassônicos também foram implementados para evitar a colisão com os clientes que possam atravessar o caminho do robô durante o transporte, ajudando a evitar qualquer acidente e garantir a segurança”, explica Moraes Ayres.

Colega de trabalho

Além de fortalecer a automação de tarefas repetitivas realizadas por funcionários de verdade, o robô garçom também pode participar de algumas atividades para otimizar o fluxo de trabalho em bares e restaurantes. Segundo seus inventores, o objetivo não é substituir a mão de obra humana, mas sim apoiar a dinâmica do estabelecimento.

Enquanto o robô está cumprindo seu papel, indo da cozinha até o salão do restaurante para servir as mesas, por exemplo, alguns funcionários humanos poderiam ser remanejados para realizar outras tarefas mais complexas, como recebimento dos pedidos, pagamentos e limpeza.

“É importante destacar que, como se trata de uma nova tecnologia, estamos realizando estudos mais aprofundados para aperfeiçoar o robô garçom. É claro que também estamos abertos a novas parcerias para continuar com as melhorias no projeto”, conclui Leonardo Moraes Ayres da Silva.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: