Mercado abrirá em 3 hs
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,80
    +0,65 (+0,95%)
     
  • OURO

    1.814,10
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    38.021,04
    +216,52 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    939,50
    +12,73 (+1,37%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.118,86
    -5,00 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.104,25
    +30,75 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1463
    +0,0280 (+0,46%)
     

Estresse pode ser um dos fatores da causa do Alzheimer

·2 minuto de leitura
Estresse pode ser um dos fatores da causa do Alzheimer
Estresse pode ser um dos fatores da causa do Alzheimer

Por mais que haja diversos estudos e teorias, ainda não se sabe muito sobre o Alzheimer, a doença aparece no cérebro humano e causa uma devastadora perda de memória e lembranças. O novo estudo, publicado na revista científica Biological Reviews, indicou que o estresse crônico pode desempenhar um muito papel importante nesse processo.

“O que sabemos é que o estresse crônico afeta muitas vias biológicas em nosso corpo”, disse o geneticista molecular David Groth, da Curtin University, na Austrália. Durante a revisão de estudos anteriores, os pesquisadores analisaram o eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (eixo HPA), o qual controla uma variedade de processos biológicos e também ajuda a gerenciar nossa reação ao estresse.

Com isso, parte da sua função é regular a liberação do hormônio cortisol, ou seja, quanto maior o estresse, mais cortisol é liberado. Por outro lado, o hormônio faz parte de uma classe conhecida como glicocorticoides, que aumentam o açúcar no sangue e suprimem o sistema imunológico.

A interrupção do eixo HPA e os subsequentes aumentos nos níveis de cortisol são observados nos casos de Alzheimer, com constância. No estudo, os pesquisadores mostraram que os fatores genéticos que atingem o eixo HPA também podem afetar a inflamação no cérebro, conhecida por contribuir para os danos aos neurônios observados em doenças como Alzheimer.

“Variações genéticas dentro dessas vias podem influenciar a maneira como o sistema imunológico do cérebro se comporta, levando a uma resposta disfuncional”, disse Groth.

Leia mais:

Ele complementou ao explicar que “no cérebro, isso leva a uma interrupção crônica dos processos cerebrais normais, aumentando o risco de neurodegeneração e, em última instância, de demência.”

A equipe levantou a hipótese de que o estresse crônico pode desencadear uma resposta glicocorticoide que estimula a microglia, que são as células imunológicas do cérebro, a se tornar mais inflamatória. Portanto, aumentando o risco de neurodegeneração.

No artigo, os pesquisadores escreveram: “Identificar os mecanismos moleculares subjacentes à associação entre o estresse crônico e a doença de Alzheimer, bem como identificar os fatores genéticos que podem contribuir para a suscetibilidade dessa associação, pode permitir que novos alvos terapêuticos sejam identificados, bem como estratégias voltadas ao controle do estresse crônico.”

Fonte: Science Alert

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos