Mercado abrirá em 4 h 20 min

Estreias são destaque da Bolsa na semana

JÚLIA MOURA
·5 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A semana foi marcada por quatro estreias de sucesso na Bolsa brasileira. Nesta sexta-feira (5), Mosaico e Mobly saltaram 96,97% e 25,71%, respectivamente, em seu primeiro pregão na Bolsa. Segundo a Mosaico, dona dos sites Zoom, Buscapé e Bondfaro, os recursos do IPO (oferta inicial de ações, na sigla em inglês), que movimentou R$ 1,2 bilhão, serão utilizados na quitação de um financiamento com o BTG Pactual e na ampliação da participação no mercado de comércio eletrônico. "A Mosaico é um empresa que está no setor onde vimos os maiores crescimentos no ano de 2020 no mercado internacional, e ainda existem muito poucos ativos na Bolsa brasileira", diz Igor Cavaca, analista da Warren. Segundo ele, o mercado vê um alto potencial de escalabilidade do modelo de negócio da Mosaico, com potencial de ampliação das receitas sem um aumento significativo de custos. "Além disso a quantidade de dados que a empresa tem pode trazer uma série de oportunidades de negócios", completa Cavaca. Já a oferta da Mobly, cujos papéis chegaram a subir 34,90% nesta sexta, movimentou R$ 933 milhões. Segundo o ecommerce de móveis, os recursos serão destinados para o fortalecimento do capital de giro e estrutura financeira e investimento em bens de capitais, incluindo a expansão de novas lojas físicas e centros de distribuições. Na segunda (1º) foi a vez de Espaçolaser, que saltou 17,21% no seu primeiro pregão. Na semana, a empresa de estética acumulou ganhos de 17,32%. Os recursos captados na oferta primária serão direcionados para as iniciativas de expansão da companhia, incluindo aquisição de controladas e franquias. Na quinta (4), a Intelbras disparou 25,33% no seu primeiro pregão, após precificar a oferta a R$ 15,75 por papel. Nesta sexta, a fabricante de câmeras e equipamentos de segurança eletrônica e comunicação teve alta de 1,32%. Parte dos recursos do IPO, que movimentou R$ 1,3 bilhão, será destinada a aquisições, expansão de capacidade industrial, ampliação de soluções de software e hardware e expansão de canais de varejo. De acordo com analistas, as fortes valorizações refletem o viés positivo do mercado no momento. A eleição de candidatos apoiados por Jair Bolsonaro (sem partido) para as presidências do Congresso deixou investidores confiantes quanto à retomada da agenda de reformas. Arthur Lira (PP-AL) foi eleito com larga vantagem em primeiro turno para liderar a Câmara. No Senado, o escolhido foi Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Eles receberam votos em torno da maioria constitucional (60%) em ambas as Casas Legislativas. Se o apoio se mantiver na votação das reformas, há grande probabilidade de aprovação. "Está impressionante, diria que até irracional", diz Rodrigo Moliterno, diretor de renda variável e sócio da Veedha Investimentos, sobre as fortes valorizações das estreantes. Para ele, faltam orientações no mercado de compra de empresas tradicionais, o que deixa mais espaço para as novas companhias nas carteiras, especialmente as de tecnologia, a grande aposta do mercado no momento. Depois de três semanas de quedas, a Bolsa volta a subir O Ibovespa fechou em alta de 0,82% nesta sexta, a 120.240 pontos. Na semana, acumulou alta de 4,50%, depois nas últimas três semanas. Nesta sexta, o índice foi impulsionado pela alta de 3,8% da Vale, com a alta nos preços do minério de ferro por expectativas de melhora na demanda pela matéria-prima após o feriado do Ano Novo Lunar, que começa em 11 de fevereiro. Usiminas subiu 4,4% e Gerdau, 4,36%. A CSN, por sua vez, disparou 7,36%. Investidores também esperam a precificação do IPO de sua unidade de mineração, que deve ocorrer na próxima sexta (12). Também contribuíram para o viés positivo as declarações de Bolsonaro de que o governo não interfere e não interferirá na Petrobras, endossadas pelo presidente da companhia. A fala veio após o próprio Bolsonaro dizer na véspera que daria um anúncio sobre o preço dos combustíveis nesta sexta. "Naturalmente, isso [declarações de Bolsonaro] reduziu o desconforto dos investidores locais de modo que deixaram o Ibovespa andar como estava sendo ao longo da semana", afirmou Renato Mekbekian, responsável por alocações de fundos de fundos na Kilima Gestão de Recursos. As ações preferenciais da Petrobras (mais negociadas) fecharam em alta de 0,69% e as ordinárias (com direito a voto), subiram 1,40%. Na semana, o Ibovespa foi beneficiado pelo resultado das eleições no Congresso e pela recuperação dos índices em Wall Street, que reagiram a balanços do quarto trimestre de 2020, progresso nas negociações para mais estímulos nos Estados Unidos e sinais de estabilização do mercado de trabalho americano. O S&P 500 fechou em alta de 0,39% na sexta e Nasdaq, de 0,57%. Ambos os índices tiveram o melhor desempenho semanal desde novembro, renovando seus recordes históricos. Já o Dow Jones subiu 0,3% na sessão. Investidores estão com grande expectativa quanto a um novo pacote de estímulo econômico, cuja necessidade foi reforçada por dados do Departamento de Trabalho dos EUA divulgados nesta sexta. Houve aumento de 49 mil empregos não rurais no país em janeiro, menos que o esperado pelo mercado. "O mercado de trabalho americano se mostra com dificuldades para se recuperar da crise e eleva as apostas de mais estímulos" disse Luciano Rostagno, estrategista-chefe do banco Mizuho. O presidente dos EUA, Joe Biden, e seus aliados democratas no Congresso trabalham para aprovar uma ajuda de US$ 1,9 trilhão. Após os dados fracos, o dólar perdeu força internacional. No Brasil, fechou em queda de 1,19%, a R$ 5,3840. Na semana, acumulou recuo de 1,68%. No ano, há alta de 3,75% GameStop volta a disparar As ações da GameStop fecharam em alta de 19,20% nesta sexta, depois que a corretora americana Robinhood removeu os limites para a compra da ação. Pela manhã, o salto dos papéis chegou a 78%. Na véspera, as ações da varejista de videogames recuaram 42%. A AMC, que também teve os limites de sua negociação removidos, chegou a subir 16,6% na sessão, mas fechou em queda de 3,67%. Ambas as empresas se tornaram alvos de pequenos investidores nos Estados Unidos em um movimento organizado pelas redes sociais, em especial o Reddit, que levou fundos de investimento que apostavam contra estes papéis a prejuízos bilionários.