Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.707,31
    -169,71 (-0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Este tipo de dieta pode melhorar o desempenho de homens com disfunção erétil

·3 minuto de leitura

Uma alimentação saudável traz inúmeros benefícios ao organismo, mas uma dieta específica pode ser ideal para a saúde sexual masculina, de acordo com um novo estudo divulgado recentemente. Cientistas da Universidade de Atenas, na Grécia, descobriram que a dieta mediterrânea ajuda a combater a disfunção erétil, beneficiando ainda a saúde cardíaca de homens.

Esse padrão de alimentação, que é bastante debatido na área, consiste no consumo prioritário de frutas, vegetais, grãos inteiros e azeite de oliva, com o consumo baixo de laticínios e carne vermelha. A pesquisa , então, diz que homens hipertensos têm duas vezes mais chances de ter disfunção erétil em comparação com quem não sofre da condição. Isso porque as pequenas artérias perdem a capacidade de dilatar e aumentar o fluxo sanguíneo. Além disso, quando um homem entra na meia-idade, os níveis de testosterona ficam mais baixos.

<em>Imagem: Reprodução/timolina/Freepik</em>
Imagem: Reprodução/timolina/Freepik

Estudos anteriores já haviam mostrado que a dieta mediterrânea reduz a pressão arterial e evita derrames e ataques cardíacos, assim como o condicionamento físico também favorece quem sofre de hipertensão. No estudo atual, portanto, os pesquisadores avaliaram a adoção de homens de meia-idade com hipertensão e disfunção erétil à dieta mediterrânea, analisando também forma física, níveis de testosterona e rigidez arterial.

Metodologia

Participaram do estudo 250 homens com as condições, com média de idade de 56 anos, que foram avaliados sobre a alimentação com pontuações de 0 a 55 através de um questionário, fazendo ainda um teste de esteira e medidas de testosterona.

Para analisar a saúde vascular, os participantes fizeram ecocardiografias para medir a reserva de fluxo coronariano, ou seja, a capacidade de aumentar o fluxo sanguíneo quando necessário. Os voluntários também fizeram a análise da rigidez arterial com as medidas do índice de amplificação e pressão arterial central. Valores mais altos significavam artérias mais rígidas que, consequentemente, podem levar a eventos cardíacos adversos em pacientes que sofrem de disfunção erétil.

Os pesquisadores também analisaram a gravidade da disfunção erétil através do questionário Sexual Health Inventory for Men (SHIM), que conta com cinco perguntas sobre a capacidade erétil do participante, com pontuações de 0 a 25. Quanto maior a pontuação, melhor o desempenho.

<em>Imagem: Reprodução/Racool_studio</em>
Imagem: Reprodução/Racool_studio

Resultados

Após todas as medições, os cientistas descobriram que homens que tiveram pontuações mais altas na dieta mediterrânea, acima de 29 pontos, também eram os que contavam com uma reserva maior de fluxo coronariano e de testosterona, além de melhor desempenho erétil e menor rigidez arterial. A pesquisa também fez análises de acordo com o desempenho físico, descobrindo que pacientes mais ativos tinham uma reserva de fluxo coronariano maior, assim como de testosterona, além de menor rigidez arterial e pontuação alta na dieta mediterrânea.

Athanasios Angelis, autor do estudo, diz que o consumo da dieta mediterrânea, portanto, está associado a um melhor desempenho físico, artérias mais saudáveis e melhor fluxo sanguíneo, níveis mais altos de testosterona e desempenho erétil mais aprimorado. "Mesmo que não tenhamos analisado os mecanismos, parece plausível que esse padrão de dieta possa melhorar o desempenho físico e a performance com o aumento da função dos vasos sanguíneos e limitando a queda de testosterona que acontece na meia-idade", diz o cientista.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos