Mercado abrirá em 9 h 28 min
  • BOVESPA

    122.979,96
    +42,09 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.789,31
    +417,33 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,65
    -0,84 (-1,28%)
     
  • OURO

    1.868,00
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    40.851,43
    -4.114,41 (-9,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.136,34
    -116,80 (-9,32%)
     
  • S&P500

    4.127,83
    -35,46 (-0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.060,66
    -267,13 (-0,78%)
     
  • FTSE

    7.034,24
    +1,39 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    28.008,09
    -398,75 (-1,40%)
     
  • NASDAQ

    13.157,50
    -54,50 (-0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4325
    +0,0024 (+0,04%)
     

Este é o asteroide que foi batizado em homenagem ao astronauta Michael Collins

Wyllian Torres
·2 minuto de leitura

Na tarde da última quarta-feira (28), o mundo recebeu a notícia da morte do astronauta Michael Collins, que ficou conhecido como o “astronauta esquecido”, pois, durante sua participação na missão Apollo 11, em 1969, foi o único entre os três tripulantes que não pisou na Lua — mas desempenhou o importante papel de piloto do módulo de comando em órbita.

No entanto, seu legado chega a lugares mais distantes do que a superfície lunar, como no cinturão de asteroides — além da órbita de Marte —, através do asteroide (6471) Collins, que foi batizado em sua homenagem. E o pessoal do Virtual Telescope fez um registro do asteroide como mais uma forma de homenagear o "homem mais solitário da humanidade”, como Collins também foi chamado, pelo fato de ter permanecido sozinho na órbita lunar enquanto seus colegas exploravam a superfície.

Descoberto em 4 de março de 1983 pelo astrônomo checo Antonín Mrkos, o asteroide (6471) Collins é considerado um corpo de médio tamanho com uma órbita localizada entre os planetas Marte e Júpiter. Com cerca de 9 km de diâmetro, Collins orbita o Sol a cada 1.390 dias, o equivalente a cerca de 3,81 anos terrestres, e seu tamanho o torna maior do que cerca de 99% dos asteroides de sua região.

(Imagem: Captura de Tela/Space Reference)
(Imagem: Captura de Tela/Space Reference)

Então, o astrofísico italiano Gianluca Masi, fundador do Virtual Telescope Project, postou um registro do asteroide Collins e explicou sua relação de admiração pelo trabalho do astronauta Collins. Logo após receber a notícia do falecimento do astronauta, Masi se apressou em verificar se o asteroide Collins estava visível, e a foto você confere a seguir:

(Imagem: Reprodução/Gianluca Mase/The Virtual Telescope)
(Imagem: Reprodução/Gianluca Mase/The Virtual Telescope)

A imagem foi feita a partir de uma única exposição de 300 segundos, capturada remotamente pela unidade robótica do Virtual Telescope, a “Elena” (PlaneWave 17 ″ + Paramount ME + SBIG STL-6303E). O asteroide é apontado pela seta no centro da imagem, e o risco cruzando a foto é a trilha do satélite Delta 4R/B, o qual, para Masi, é “como uma impressão digital da nossa presença no espaço, que teve em Michael um de seus maiores heróis”.

O asteroide não foi o único no Sistema Solar a receber uma homenagem ao astronauta Michael Collins. Na Lua, existe uma pequena cratera batizada com seu nome, chamada Cratera Collins, que fica na parte sul do Mar da Tranquilidade — cerca de 25 km de distância do local de pouso do módulo lunar da Apollo 11. Os outros dois astronautas da missão, Buzz Aldrin e Neil Armstrong, também foram homenageados com seus nomes em asteroides, chamados (6470) Aldrin e (6469) Armstrong, respectivamente — ambos localizados no cinturão entre Marte e Júpiter.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: