Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,92
    -0,21 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.777,50
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    56.590,49
    -3.335,82 (-5,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.281,90
    -109,81 (-7,89%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    29.184,49
    +214,78 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    29.725,66
    +42,29 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.022,75
    -6,75 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6678
    -0,0183 (-0,27%)
     

Estatais precisam ter função social e Silva e Luna dará nova dinâmica à Petrobras, diz Bolsonaro

Eduardo Simões
·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro

Por Eduardo Simões

(Reuters) - Todas as estatais precisam cumprir uma função social e é inadmissível um presidente de uma dessas companhias que não tenha essa compreensão, disse nesta quinta-feira o presidente Jair Bolsonaro, que afirmou ainda que o general Joaquim Silva e Luna dará uma nova dimensão à Petrobras.

"Uma estatal, seja ela qual for, tem que ter sua visão de social. Não podemos admitir uma estatal e um presidente que não tenha essa visão", disse Bolsonaro em discurso durante cerimônia sobre a revitalização do sistema elétrico de alta tensão de Furnas em Foz do Iguaçu (PR), com a presença de Luna e Silva, atual presidente pelo lado brasileiro da Itaipu Binacional e indicado por Bolsonaro para comandar a Petrobras.

"O convite que fizemos ao senhor general Silva e Luna para presidir a Petrobras visa uma nova dinâmica àquela empresa e neste momento eu agradeço a ele por ter aceitado esse convite. E pode ter certeza que todos aqueles que dependem do produto da Petrobras vão se surpreender positivamente com o seu trabalho quando ele lá assumir."

Bolsonaro decidiu trocar o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, por Silva e Luna após o mais recente reajuste no preço dos combustíveis promovido pelo estatal, que foi criticado pelo presidente. O preço do óleo diesel é uma das principais reclamações de caminhoneiros que vêm ameaçando realizar graves e foram uma base eleitoral importante para Bolsonaro.