Mercado abrirá em 5 h 28 min

Estados Unidos acusam Rússia de testar míssil antissatélite mais uma vez

Patrícia Gnipper
·2 minuto de leitura

Os Estados Unidos estão acusando os russos de terem conduzido um preocupante teste na órbita da Terra, envolvendo um míssil capaz de destruir satélites. Se essa história parece familiar a você, é porque esse tipo de acusação já aconteceu pelo menos duas vezes neste ano — uma em abril e outra em julho, com a Rússia em seguida se defendendo e dizendo ser contra a militarização do espaço.

Desta vez, o Comando Espacial dos EUA "soltou a bomba" no Twitter na quarta-feira (16), afirmando que a Rússia conduziu tal teste antissatélite com um míssil, e dizendo ainda que os russos continuam levando armas ao espaço, com o Comando Espacial continuando "pronto para proteger e defender os interesses dos EUA e seus aliados contra agressões no domínio espacial".

Em seu site oficial, o Comando Espacial também falou a respeito, especificando que o míssil antissatélite russo seria do tipo de ascensão direta. Ali, os estadunidenses se mostram mais ferrenhos contra os testes russos: "a Rússia afirma publicamente que está trabalhando para evitar a transformação do espaço sideral em um campo de batalha, mas, ao mesmo tempo, Moscou continua levando armas ao espaço", disse o órgão que, hoje, é o sexto ramo das Forças Armadas dos EUA.

Eles seguem o comunicado afirmando que "o estabelecimento do Comando Espacial dos EUA como o ramo principal das Forças Armadas não poderia ter sido mais oportuno", pois "estamos prontos e comprometidos para deter a agressão e defender nossa nação e nossos aliados de atos hostis no espaço". O presidente Donald Trump oficializou a criação da Força Espacial dos EUA em dezembro do ano passado.

Ainda de acordo com o Comando Espacial, o teste antissatélite russo mais recente é capaz de destruir satélites na órbita baixa da Terra e, se esta arma for testada em um satélite real, ela pode deixar um enorme rastro de destroços na órbita terrestre, colocando em risco satélites comerciais e também poluindo, ainda mais, o ambiente espacial, em um momento em que o lixo orbital é pauta urgente de agências espaciais e empresas privadas de todo o mundo.

Já do outro lado do "ringue", Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, disse que o Pentágono americano, ao fazer tais acusações contra os russos, apenas busca justificar seu próprio desenvolvimento de armas espaciais, como quem busca um inimigo inexistente para explicar os motivos de seu próprio armamento.

Vale lembrar que tanto os EUA quanto a Rússia são signatários do Tratado do Espaço Exterior, que justamente proíbe a militarização do espaço, apesar de não proibir país algum de desenvolver tecnologias capazes de destruir seus próprios satélites já desativados.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: