Mercado fechado
  • BOVESPA

    123.576,56
    +1.060,82 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.633,91
    +764,43 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,36
    -0,20 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.809,10
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    38.082,77
    -910,57 (-2,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    930,44
    -13,00 (-1,38%)
     
  • S&P500

    4.423,15
    +35,99 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.116,40
    +278,24 (+0,80%)
     
  • FTSE

    7.105,72
    +24,00 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.590,47
    -51,36 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    15.026,75
    -19,50 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1755
    +0,0100 (+0,16%)
     

Estado e prefeitura não se entendem sobre falta de vacinas em SP

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO — Enquanto faltam vacinas contra a Covid-19 nos postos de saúde de São Paulo nesta terça-feira, a prefeitura da capital e a gestão estadual do governador João Doria apresentam explicações divergentes para o problema. O prefeito Ricardo Nunes disse que pede mais doses do imunizante ao estado desde sábado.

A informação diverge das declarações do secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn. Em entrevista à TV Globo nesta manhã, o secretário afirmou que tomou conhecimento da escassez de doses apenas no final da tarde de segunda-feira. O prefeito disse que Gorinchteyn cometeu um "equívoco" e reiterou que no sábado enviou uma mensagem de Whatsapp a Regiane de Paula, coordenadora do Plano Estadual de Vacinação.

Em seguida, Nunes buscou um tom conciliador, elogiou a gestão do secretário e atribui a situação ao cansaço dos profissionais em razão do excesso de trabalho.

— O secretário Jean se expressou mal. Tenho certeza que ele é uma pessoa muito correta. Ele acabou dando uma informação que desconheço porque não procede. Acredito que seja pelo volume de trabalho e pressão — disse o prefeito, após uma visita a um hospital na Zona Norte da capital. O prefeito ainda acrescentou: — Tenho certeza absoluta que ele (Gorinchteyn) vai se retratar. Foi um equívoco.

O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, ainda deu mais detalhes sobre o ocorrido. Segundo Aparecido, a secretaria municipal de Saúde informou a Gorinchteyn, ainda no sábado, que havia apenas 59 mil doses.

— Avisamos que necessitaríamos de vacina no final de semana para dar prosseguimento a vacinação na segunda-feira.O secretário disse que iria providenciar o envio de vacinas no final de semana e segunda-feira — disse Aparecido, acrescentando que as doses prometidas pelo estado não chegaram.

Mais cedo, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, já havia falado sobre a falta de vacinas à rádio CBN. Dimas disse que o estado apenas recebe as doses e distribui aos municípios.

Agora, a prefeitura espera reabastecer os postos hoje para retomar a vacinação a partir de quarta-feira.

Desde o começo da pandemia, o clima entre a prefeitura e o estado na saúde tem momentos de turbulência. Nos bastidores, um das explicações para a crise atual é atribuída a medidas da gestão Doria para antecipar o calendário de vacinação, o que teria reduzido a oferta dos imunizantes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos