Mercado fechará em 4 h 42 min
  • BOVESPA

    109.561,78
    +447,62 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.232,80
    +424,24 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,05
    +2,34 (+3,05%)
     
  • OURO

    1.644,10
    +10,70 (+0,66%)
     
  • BTC-USD

    20.217,25
    +1.114,69 (+5,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    461,92
    +2,78 (+0,61%)
     
  • S&P500

    3.685,94
    +30,90 (+0,85%)
     
  • DOW JONES

    29.456,78
    +195,97 (+0,67%)
     
  • FTSE

    7.032,96
    +12,01 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.472,75
    +156,50 (+1,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1435
    -0,0359 (-0,69%)
     

Estado alemão deixa o capital da Lufthansa

O Estado alemão vendeu todas as suas participações no capital do grupo aéreo Lufthansa, do qual havia adquirido 20% em 2020 como parte de um grande plano de resgate durante a pandemia de coronavírus.

O fundo de estabilização da economia, órgão público que possuía as ações, vendeu suas últimas participações a investidores internacionais.

"A empresa está novamente em mãos privadas", afirmou Jutta Dönges, diretora do fundo.

A Lufthansa foi salva da falência pelo governo alemão em junho de 2020, quando o grupo estava duramente afetado pela pandemia de coronavírus.

Berlim estabeleceu com o grupo um plano de ajuda de 9 bilhões de euros, que representou uma participação do Estado de 20% no capital da empresa.

Mas a participação sempre foi considerada temporária pelo poder público e deveria terminar quando a situação melhorasse.

A operação acontece após várias vendas que já haviam reduzido a presença do Estado na Lufthansa para 14,09% em 2021 e 9,92% em julho.

Para o Estado, a venda foi globalmente benéfica com um "saldo positivo de 760 milhões de euros".

fcz/nth/me/zm/fp