Mercado abrirá em 6 h 59 min
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,18
    -0,77 (-1,04%)
     
  • OURO

    1.815,10
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    39.759,50
    -2.066,13 (-4,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    963,26
    +13,36 (+1,41%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    26.245,12
    +284,09 (+1,09%)
     
  • NIKKEI

    27.813,55
    +529,96 (+1,94%)
     
  • NASDAQ

    15.036,25
    +80,50 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1578
    -0,0302 (-0,49%)
     

Esta plataforma de satélites levará lotes de vários CubeSats ao espaço em 2022

·2 minuto de leitura

A empresa espacial Launcher, anunciou sua nova plataforma de satélites, chamada Orbiter, que será destinada a levar lotes com diversos CubeSats para o espaço. Com capacidade de transportar até 150 kg de carga útil, a primeira missão está marcada para outubro de 2022 e será lançada pelo foguete Falcon 9, da SpaceX.

Segundo nota oficial da Launcher, a Orbiter permitirá que desenvolvedores de pequenas constelações de satélites tirem proveito do benefício ao adquirir programa de rideshare (“carona”, em tradução literal) como o da SpaceX — quando outras empresas, por exemplo, contratam o Falcon 9 para enviar suas cargas ao espaço junto a lançamentos da própria empresa de Elon Musk. Além disso, a plataforma é destinada a funcionar como o terceiro estágio do Launcher Light, um pequeno foguete destinado a alcançar a baixa órbita terrestre em 2024.

Em comparação ao Falcon 9, o Launcher Light é bem menor — ele tem 15 metros de altura, contra 70 metros do Falcon9 —, mas isso o torna ideal para uma única missão pequena. Além disso, o Orbiter consegue alterar a velocidade orbital dos satélites em até 500 m/s, o que permitirá que seus operadores ajustem a órbita de suas máquinas para cima ou para baixo. Mas o pequeno foguete Launcher Light terá um pequeno mercado competitivo, ao ser lançado em 2024, uma vez que lançadores como o Electron, da Rocket Lab, em fase de testes, e o LauncherOne, da Virgin Orbit, já estão em fases de demonstração.

Embora o fundador da Launcher, Max Haot, tenha alegado, em 2018, que a empresa não estava preparada para ir ao espaço, ele acrescentou que o Launcher Light terá a vantagem de otimizar o desempenho e lançamentos de satélites. "Não acreditamos que as pessoas que chegaram lá alguns anos antes serão as vencedoras. Acreditamos que as pessoas que operam com a maior margem serão as vencedoras", disse.

Na ilustração, o foguete Launcher Light com o Orbiter acoplado, sendo seu terceiro estágio (Imagem: Reprodução/Launcher)
Na ilustração, o foguete Launcher Light com o Orbiter acoplado, sendo seu terceiro estágio (Imagem: Reprodução/Launcher)

Parte do dinheiro arrecado pela empresa será destinado a colocar a Launcher Light em órbita e para a contratação de 40 funcionários ainda neste ano — a Launcher pretende ter 150 pessoas em sua equipe nos próximos três anos. “Em comparação com nossos concorrentes, estamos no jardim de infância da arrecadação de fundos”, apontou Haot.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos