Mercado abrirá em 2 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,91
    -0,32 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.774,20
    -4,60 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    43.796,08
    +1.649,49 (+3,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.098,34
    +57,86 (+5,56%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.094,75
    +11,38 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.241,25
    +77,75 (+0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1946
    -0,0142 (-0,23%)
     

Esta é a maior e mais realista simulação do universo — e você pode baixá-la!

·2 minuto de leitura

Em um novo estudo, uma equipe internacional de pesquisadores produziu a simulação Uchuu (“universo”, em japonês), que é a maior, mais detalhada e mais realista já feita até hoje. Esse universo virtual conta com 2,1 trilhões de “partículas” em cubo, cujas dimensões têm 9,6 bilhões de anos-luz — e o melhor é que ele foi disponibilizado online, para ser acessado por qualquer um.

Todo esse material foi disposto em um cubo computacional, cujos lados se estendem a distâncias que equivalem a aproximadamente 75% daquelas entre a Terra e as galáxias mais distantes que já observamos. Assim, a simulação modela a evolução do universo ao longo de 13 bilhões de anos focando no comportamento da matéria escura, revelando como o universo evoluiu com detalhes sem precedentes.

Como foi focado na estrutura de larga escala do universo, o modelo não incluiu estrelas e planetas, mas é tão completo que a equipe pôde identificar estruturas variadas, que vão desde aglomerados de galáxias até halos de matéria escura, presentes em galáxias individuais. Como essa matéria misteriosa forma a maior parte de tudo que há no universo, ela é também a responsável pela formação e união das galáxias em aglomerados.

Para conseguir reunir tantas informações no Uchuu, a equipe precisou de potência computacional e espaço de armazenamento igualmente grandes. Eles trabalharam com mais de 40.000 núcleos de computadores e mais de 20 milhões de horas computacionais para produzir a simulação e, como resultado, produziram mais de 3 petabytes de dados. Isso equivale a 3.000 terabytes ou, se preferir, 3 milhões de gigabytes.

Graças à compressão de alta densidade, eles conseguiram comprimir os resultados em “apenas” 100 terabytes. Os dados públicos foram armazenados na nuvem e você pode explorá-los clicando aqui.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos