Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.609,36
    -1.027,03 (-0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.118,73
    -376,68 (-0,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.867,70
    +27,50 (+1,49%)
     
  • BTC-USD

    35.195,55
    +795,58 (+2,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    697,06
    -3,56 (-0,51%)
     
  • S&P500

    3.855,47
    +56,56 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    31.170,58
    +240,06 (+0,78%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,20 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.307,25
    +321,75 (+2,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4255
    -0,0731 (-1,12%)
     

Estação de metrô Botafogo, no Rio, adota Coca-Cola no nome

SHEYLA SANTOS
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A estação de metrô Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, adotou o nome Botafogo Coca-Cola. A alteração ocorre por meio de naming rights, prática em que empresas compram ou alugam espaços mediante a exposição de sua marca. No Brasil, essa alternativa de marketing é comum em casas de espetáculos culturais e estádios de futebol, mas pouco utilizada em espaços do poder público. O uso de marcas no metrô carioca já foi rejeitado pelo governo do estado do Rio. Em 2013, o então governador Sérgio Cabral vetou a mudança de nome de estações de metrô da cidade. No setor de trens urbanos, a operadora de celular TIM havia feito o mesmo tipo de parceria de cessão de direitos de nome, em 2011, com a SuperVia, que opera o sistema na região metropolitana. Na ocasião, a estação Bonsucesso, localizada na zona norte da capital, teve o nome alterado para Bonsucesso TIM. Na época, marcas ocuparam espaços em estações do teleférico do Complexo do Alemão, também controladas pela SuperVia. A Coca-Cola afirma que a escolha da estação Botafogo, uma das principais do sistema metroviário da região metropolitana, se dá pela proximidade à sede da empresa. A companhia diz que o objetivo da ação é transformar o espaço utilizado por milhões de pessoas em uma "experiência de conexão com a marca". "Este será o marco do início de uma longa parceria", afirmou a empresa em nota. Em uma rede social, executivos de marketing da Coca-Cola celebraram a ação. A vice-presidente da área no Brasil, Poliana Sousa, comemorou a parceria e disse que a cessão de direitos de uso de marca irá além da troca de nome. "Esta primeira etapa será marcada pelas mudanças nas sinalizações visuais e sonoras da estação, mas estamos planejando uma série de outras ações", afirmou. A diretora da área, Marina Rocha, destacou a proximidade da marca com o Rio de Janeiro. Segundo a executiva, além de a sede da empresa estar localizada no bairro de Botafogo, a cidade abrigou a primeira fábrica brasileira da Coca-Cola. O MetroRio confirmou a parceria, mas não detalhou os valores que serão arrecadados com a iniciativa. Na pandemia, a concessionária informou que o movimento de embarque de passageiros chegou a ter queda de 87% em dias úteis. Em agosto, a agência Agetransp, que regula o setor no estado, proibiu a empresa de suspender a prestação de serviços aos usuários. A decisão do órgão regulador foi tomada após a notificação do MetroRio sobre uma possível suspensão dos serviços em razão de um "colapso financeiro", que teria sido causado por medidas restritivas adotadas pelo estado no enfrentamento à Covid-19.