Mercado fechará em 5 h 45 min
  • BOVESPA

    112.290,06
    +2.040,34 (+1,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.243,36
    +415,23 (+0,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,82
    +1,33 (+1,89%)
     
  • OURO

    1.774,10
    -4,10 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    42.466,62
    -173,99 (-0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.059,57
    +19,09 (+1,83%)
     
  • S&P500

    4.389,17
    +34,98 (+0,80%)
     
  • DOW JONES

    34.261,38
    +341,54 (+1,01%)
     
  • FTSE

    7.082,44
    +101,46 (+1,45%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.097,75
    +73,75 (+0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1934
    +0,0143 (+0,23%)
     

Estação Espacial Internacional tem novas rachaduras, dizem astronautas russos

·2 minuto de leitura
Estação Espacial Internacional tem novas rachaduras, dizem astronautas russos
Estação Espacial Internacional tem novas rachaduras, dizem astronautas russos

Astronautas russos que fazem parte da tripulação a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) descobriram várias rachaduras na parede do laboratório orbital. Eles alertam que elas podem se alargar com o passar do tempo.

“Fissuras superficiais foram encontradas em alguns lugares do módulo Zarya”, disse Vladimir Solovyov, engenheiro-chefe da empresa espacial russa Energia, à agência de notícias estatal RIA, segundo a Reuters. “Isso é ruim e sugere que as fissuras começarão a se espalhar com o tempo”.

Estação Espacial Internacional em 1998. O módulo Zarya, feito pela Rússia (à esquerda), acoplado ao módulo feito pelos EUA, formava a primeira fase da ISS. É neste local que estão as mais recentes rachaduras encontradas pelos cosmonautas. Imagem: Everett Collection – Shutterstock
Estação Espacial Internacional em 1998. O módulo Zarya, feito pela Rússia (à esquerda), acoplado ao módulo feito pelos EUA, formava a primeira fase da ISS. É neste local que estão as mais recentes rachaduras encontradas pelos cosmonautas. Imagem: Everett Collection – Shutterstock

ISS começa a dar sinais de idade avançada?

Depois de estar permanentemente ocupada por mais de 20 anos no espaço, a estação vem acumulando rachaduras que, pelo menos até agora, ainda não representam uma ameaça significativa para a tripulação – mas isso pode mudar em questão de anos.

Conforme o Olhar Digital já noticiou, o problema foi detectado pela primeira vez em setembro de 2019.

Leia mais:

De acordo com o informado no mês passado pela agência espacial russa, a Roscosmos, os níveis de pressão no módulo de serviço Zvezda da estação começaram a cair devido a um vazamento de ar.

A última vez que os cosmonautas notaram rachaduras foi também no módulo russo Zvezda, identificadas depois de mais de um ano de investigação cuidadosa por parte da equipe.

Rússia vai abandonar Estação Espacial Internacional em 2025

Solovyov também observou que a ISS provavelmente experimentará uma “avalanche” de falhas de equipamento após 2025, ano em que a Rússia, que está se distanciando ativamente das operações da estação espacial, já avisou que irá abandoná-la.

De acordo com o site The Byte, no entanto, o noticiário estatal da Rússia também usou evidências de violações encontradas anteriormente na ISS como forma de demonizar o pessoal da Nasa.

Durante a busca, tanto a Roscosmos quanto a Nasa afirmaram que os astronautas a bordo nunca correram perigo. De qualquer modo, as rachaduras recém-descobertas, cuja existência ainda não foi confirmada pela agência espacial norte-americana, são más notícias – mesmo que a Rússia as esteja apenas usando para se distanciar das operações da estação ou justificar uma deserção prematura.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos