Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,92 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,77 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,53
    -0,48 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.792,40
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    23.353,52
    +158,21 (+0,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,20
    -2,02 (-0,38%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,67 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.201,94
    +27,94 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.175,87
    +243,67 (+0,87%)
     
  • NASDAQ

    13.216,50
    -12,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2558
    -0,0847 (-1,59%)
     

Estímulos ao nervo vago podem combater os efeitos inflamatórios da covid-19

Cientistas descobriram que estímulos ao nervo vago têm efeitos anti-inflamatórios no corpo que podem combater a resposta inflamatória causada pela covid-19. O nervo vago se estende do cérebro para a maioria dos nossos órgãos, e age regulando os reflexos anti-inflamatórios do organismo. Se a regulação, no entanto, gerar uma resposta muito fraca, isso pode causar inflamações excessivas e afetar a regeneração do próprio corpo.

Sistemas auriculares de estímulo ao nervo vago (aVNS), então, podem ser utilizados para restaurar o equilíbrio entre a resposta inflamatória protetiva inicial e permitir que o processo de regeneração funcione de forma devida. Teorias já previam que essa técnica poderia ajudar em casos severos de covid-19 em 2020, o que foi testado por uma equipe de cientistas da Universidade Tecnológica de Viena.

A resposta inflamatória do corpo mediante infecção pelo SARS-CoV-2 pode causar mais danos ao corpo do que a própria covid-19 (Imagem: Rawpixel/Envato Elements)
A resposta inflamatória do corpo mediante infecção pelo SARS-CoV-2 pode causar mais danos ao corpo do que a própria covid-19 (Imagem: Rawpixel/Envato Elements)

Impedindo o corpo de se machucar

De acordo com o estudo elaborado pelos pesquisadores, o sistema aVNS consegue não apenas parar a reação inflamatória dos pacientes, mas até mesmo reverter essa ação, impedindo que a resposta do corpo faça mais dano a si do que a própria infecção pelo SARS-CoV-2. Mas a terapia é realmente bem-sucedida devido às adaptações feitas de acordo com o organismo do paciente.

Se um sistema aVNS manda impulsos elétricos constantemente, pode acabar causando efeitos adversos, como dor, além de consumir muito mais energia: é preciso fazer com que ele reaja individualmente ao paciente, enviando estímulos apenas quando necessário.

Para isso, os pesquisadores desenvolveram um sistema de ciclos fechados que só estimula o nervo vago quando o cérebro está "ouvindo", ou seja, quando o coração se contrai e o sangue flui para as veias, ou quando o paciente exala o ar. Assim, estímulos muito fortes ou muito fracos podem ser evitados, o que acontece com frequência quando se abusa do aVNS.

Cientistas responsáveis pelo sistema aVNS, que estimula o nervo vago para reverter inflamações: da esquerda, Eugenijus Kaniusas, Babak Dabiri e Andreas Dickinger (Imagem: Vienna University of Technology/Reprodução)
Cientistas responsáveis pelo sistema aVNS, que estimula o nervo vago para reverter inflamações: da esquerda, Eugenijus Kaniusas, Babak Dabiri e Andreas Dickinger (Imagem: Vienna University of Technology/Reprodução)

E como monitoramentos de medidas simples do sistema funcionam apenas para o passado (não sendo possível tirar medidas instantâneas do presente), foi necessário trabalhar com simulações preditivas. O aVNS foi adaptado para trabalhar com o sistema parassimpático do organismo, sistema de feedback do corpo, que o permite medir sinais biológicos e enviar os estímulos apenas quando necessário, como uma pílula elétrica inteligente.

Desde 2020, os estudos evoluíram para conseguir aplicar as tecnologias necessárias para a terapia. Em maio deste ano, os cientistas responsáveis publicaram um artigo detalhando o procedimento e seus benefícios no periódico científico Analog Integrated Circuits and Signal Processing.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos