Mercado abrirá em 6 h 10 min
  • BOVESPA

    120.705,91
    +995,88 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.829,31
    +80,90 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,67
    -0,15 (-0,24%)
     
  • OURO

    1.833,80
    +9,80 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    48.971,72
    -2.266,09 (-4,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.350,70
    -37,21 (-2,68%)
     
  • S&P500

    4.112,50
    +49,46 (+1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.021,45
    +433,79 (+1,29%)
     
  • FTSE

    6.963,33
    -41,30 (-0,59%)
     
  • HANG SENG

    27.970,59
    +251,92 (+0,91%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.187,25
    +87,00 (+0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4263
    +0,0138 (+0,22%)
     

Essa webcam bizarra se parece com um olho humano e segue movimentos das pessoas

Ramon de Souza
·2 minuto de leitura

Todos nós sabemos que, antes que pudéssemos perceber, a tecnologia se tornou tão integrada à nossa vida que estamos rodeados de dispositivos capazes de nos rastrear, nos ouvir e nos observar. Temos smart speakers cujos microfones estão (quase) sempre ligados, webcams capazes de identificar o nosso rosto, celulares que nos reconhecem através de características biométricas e assim por diante. Pensar em tudo isso é algo assustador, mas o designer Marc Teyssier resolveu levar a discussão para um novo nível.

Ele projetou a Eyecam; uma câmera que se assemelha e se comporta como um olho humano. O dispositivo — que possui um visual altamente realista — consegue olhar para cima, para os lados, seguir seus passos e até piscar. Ele também é equipado com um algoritmo de reconhecimento facial para identificar seu “dono”, sendo capaz até mesmo de esboçar emoções como irritação e decepção. É praticamente a fábula do Grande Irmão (do livro 1984, de George Orwell) em sua mais assustadora encarnação.

“Contato visual. Os olhos humanos são cruciais para a comunicação. Através do olhar, podemos perceber felicidade, raiva, tédio ou cansaço. Os olhos se movem quando alguém está curioso e o leva direto para manter o foco”, diz Marc. “Embora as webcams compartilhem o mesmo propósito do olho humano — ver —, elas não são expressivas, não transmitem afeto como os olhos humanos. A Eyecam traz de volta os aspectos afetivos do olho na câmera”, complementa o artista.

Relação entre homem e máquina

Ficou assustado? Pois saiba que era exatamente essa a intenção — a Eyecam não é um produto comercial e não será fabricado em massa. Trata-se de um experimento social justamente para levantar questões relacionadas com a vigilância em massa (especialmente em tempos de crise de COVID-19, na qual muitos profissionais são obrigados a manter suas câmeras ativas a maior parte do tempo para que a diretoria tenha certeza de que eles estão trabalhando).

“O objetivo deste projeto é especular sobre o passado, o presente e o futuro da tecnologia. Estamos cercados por dispositivos sensores. A câmera de vigilância nos observa na rua, os alto-falantes do Google ou da Alexa nos ouvem e a webcam em nosso laptop está olhando constantemente para nós. Eles estão se tornando invisíveis, se misturando à nossa vida diária, até um ponto em que não temos consciência de sua presença e paramos de questionar como eles se parecem, sentem e agem”, explica.

Por outro lado, Marc resolveu disponibilizar todo o conteúdo necessário caso você queira fabricar sua própria Eyecam — incluindo as esquemáticas da estrutura em plástico, o código-fonte de seu software e a lista de materiais necessários para que, bem, a coisa toda fique parecendo com um olho humano. Embora o inventor esteja devendo um guia passo-a-passo para construção, todos esses documentos já podem ser encontrados em um repositório no GitHub oficial do criador.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: