Mercado fechado

Esplanada amanhece com mil cruzes em homenagem a vítimas de feminicídio

Cada uma das cruzes representa uma mulher assassinada pelo parceiro em 2019 (Foto: Reprodução/TV Globo)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Cada cruz representa uma vítima de feminicídio em 2019

  • Ato aconteceu no Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher

Na segunda-feira (25), Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher, um protesto organizado em frente ao Congresso Nacional fincou 1.140 cruzes no gramado – uma para cada vítima de feminicídio no Brasil em 2019.

A data, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1999, faz parte do mês de conscientização contra a violência de gênero, que segue até 10 de dezembro. Uma das organizadoras do ato, Gabriele Olivi, contou ao G1 que a mobilização não se limita a Brasília:

"As cruzes representam mortes no Brasil inteiro. Não é um ato só por Brasília, mas de todo país. Chamamos para a manifestação, mulheres que já foram vítimas e estão envolvidas com a causa.”

Leia também

Nas cruzes, as organizadoras escreveram frases como "SOS" e "basta ao feminicídio" – de acordo com a organização, o protesto é "um pedido de socorro de todas as mulheres". Às 10h30, as mulheres que participaram do ato anunciaram no microfone os nomes das 31 mulheres que foram assassinadas por seus companheiros neste ano no Distrito Federal. A deputada federal Flávia Arruda (PL-DF), presidente da comissão externa de combate à violência contra a mulher, disse a data das mortes de cada uma das vítimas.

Às 11h, elas seguiram para o Plenário da Câmara dos Deputados, onde aconteceu uma sessão solene sobre o assunto.

Também para marcar a data, um helicóptero do Detran (Departamento de Trânsito) do Distrito Federal jogou pétalas de rosas sobre o Congresso Nacional.