Mercado fechado

Espiral de estrelas é flagrada pelo telescópio Hubble

Parte da espiral estaria alimentando a formação de estrelas no berçário estelar, chamado NGC 346, visto na imagem capturada pelo Hubble (Getty Creative)
Parte da espiral estaria alimentando a formação de estrelas no berçário estelar, chamado NGC 346, visto na imagem capturada pelo Hubble (Getty Creative)
  • Hubble fotografou um conglomerado de estrelas e gás em formato de espiral;

  • Descoberta pode fornecer pistas de como as estrelas nasceram quando a galáxia de 13,8 bilhões de anos estava passando por uma intensa formação estelar;

  • Braço externo da espiral de estrelas e gás pode estar fornecendo um fluxo de gás semelhante a um rio, que está alimentando a formação de estrelas no berçário estelar.

O Hubble, telescópio espacial da NASA, fotografou um conglomerado de estrelas e gás em formato de espiral em direção ao coração de um enorme berçário estelar de formato curioso na vizinha Pequena Nuvem de Magalhães.

Segundo o portal Space, astrônomos avaliam que o braço externo dessa espiral de estrelas e gás pode estar fornecendo um fluxo de gás semelhante a um rio, que está alimentando a formação de estrelas no berçário estelar, chamado NGC 346, visto na imagem capturada pelo Hubble.

A descoberta também pode fornecer pistas importantes de como as estrelas nasceram quando a galáxia de 13,8 bilhões de anos estava passando por uma intensa formação estelar.

A Pequena Nuvem de Magalhães que abriga a NGC 346 está localizada a apenas 200.000 anos-luz da Terra, o que significa que os astrônomos veem uma luz mais jovem do que de galáxias mais distantes que podem revelar o início do universo.

Galáxia descoberta

No final de agosto, uma galáxia anã irregular, localizada a 25 milhões de anos-luz da Terra em Áries, foi identificada pelo Telescópio Espacial Hubble. Chamada de NGC 1156, ela tem uma estrutura única diferente da maioria das outras galáxias.

A Agência Espacial Europeia (ESA), parceira na missão que identificou a nova galáxia, descreveu a descoberta: "Milhares de estrelas brilhantes evocam uma galáxia espiral, mas falta a estrutura distinta de 'redemoinho'. A galáxia elíptica e seu núcleo são estrelas mais velhas e mais vermelhas". Por esse motivo, a NGC 1156 recebeu o apelido de "galáxia florida".

A galáxia recém-descoberta tem um centro densamente repleto de gerações mais antigas de estrelas. Suas estrelas mais jovens não estão contidas nos braços espirais conspícuos que orbitam a galáxia. Por não ter qualquer tipo de forma distinta – nem uma estrutura espiral nem uma elipse – os astrônomos classificaram a NGC 1156 como uma galáxia anã irregular.