Mercado fechará em 5 h 3 min

'Esperança', a primeira sonda árabe com destino a Marte

Por Dana MOUKHALLATI
·3 minutos de leitura
Foto de 25 de setembro de 2019 no Centro Espacial Mohammed Bin Rashid, em Dubai
Foto de 25 de setembro de 2019 no Centro Espacial Mohammed Bin Rashid, em Dubai

A primeira missão espacial árabe a Marte, dirigida pelos Emirados Árabes Unidos, foi lançada nesta segunda-feira (20) para fornecer uma imagem completa da dinâmica da temperatura na atmosfera do planeta vermelho.

A sonda, chamada de "Al Amal" ("Esperança"), foi lançada às 06h58 (18h58 de domingo no horário de Brasília) do centro espacial japonês de Tanegashima, marcando assim a próxima etapa do ambicioso programa espacial dos Emirados.

As ambições desse país do Golfo, rico em petróleo, são percebidas como uma resgate da idade do ouro, na qual houve grandes conquistas culturais e científicas no Oriente Médio.

- Inúmeros projetos -

Esse Estado federado, composto por sete emirados (ou principados), incluindo Abu Dhabi e Dubai, tem nove satélites na órbita terrestre e planeja lançar outros oito nos próximos anos.

Em setembro de 2019, Haza al Mansuri foi o primeiro cidadão dos Emirados a ser enviado ao espaço a bordo de um foguete Soyuz e o primeiro cidadão árabe a permanecer na Estação Espacial Internacional (ISS).

As ambições do país vão ainda mais longe, pois planeja construir uma colônia humana em Marte até 2117.

Enquanto isso, o país planeja criar uma "cidade científica" no deserto, fora de Dubai, para simular as condições do planeta vermelho e desenvolver a tecnologia necessária para colonizar Marte.

Os Emirados Árabes Unidos também estão considerando projetos de mineração e turismo espacial, e assinaram um acordo de protocolo com a Virgin Galactic, empresa de turismo espacial do bilionário britânico Richard Branson.

- A viagem da "esperança" -

O próximo passo é o lançamento da sonda "Al Amal".

A sonda de 1.350 kg, do tamanho de um 4x4, deve decolar do centro espacial japonês de Tanegashima em 15 de julho, mas com uma janela de lançamento que permanecerá aberta até o início de agosto, dependendo de algumas variáveis, como o clima.

Serão necessários sete meses para percorrer os 493 milhões de quilômetros que separam Terra e Marte, aonde deverá chegar em março, a tempo de comemorar o 50º aniversário da unificação dos sete emirados, em 2021.

A sonda permanecerá em órbita por um ano marciano, que tem 687 dias.

- Inspirar a juventude -

Três equipamentos fixos em "Esperança" permitirão ter uma imagem completa da atmosfera de Marte ao longo do ano marciano.

Um espectrômetro infravermelho medirá a atmosfera mais baixa e analisará a estrutura da temperatura, um captor de imagens de alta resolução fornecerá informações sobre os níveis de ozônio e, por último, um espectrômetro ultravioleta medirá os níveis de oxigênio e hidrogênio a uma distância de até 43.000 quilômetros da superfície.

A compreensão das atmosferas de outros planetas permitirá entender melhor o clima na Terra, segundo os responsáveis pela missão espacial.

Realizado em uma região abalada por conflitos e atormentada por dificuldades econômicas, o projeto também é visto como um meio de inspirar uma geração inteira e lembrá-la do auge dos avanços científicos na Idade Média.

"Os Emirados Árabes Unidos querem enviar uma mensagem forte aos jovens árabes e lembrá-los do passado. Em um certo ponto da história, éramos geradores de conhecimento", ressalta Omran Charaf, chefe do projeto da missão.