Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.601,11
    +35,20 (+0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Especialistas procuram reforço após vacina de dose única da Janssen

·1 minuto de leitura

Em meio às vacinas contra COVID-19 em vigor, a da Janssen se destaca por sua dose única. No entanto, com a variante Delta em mente, alguns especialistas buscaram um reforço nas vacinas da Moderna ou da Pfizer. Mas por enquanto, as autoridades não recomendam uma injeção de reforço após a vacina da Janssen.

O Brasil já recebeu milhões de doses da vacina em questão, tanto pela compra do Ministério da Saúde, quanto por doações dos EUA.

Dentre os especialistas que defendem um reforço para a dose da Janssen, está Angela Rasmussen, virologista da Universidade de Saskatchewan, Canadá. A especialista tomou a vacina da Pfizer para "completar" a da Janssen, que recebeu em abril. Em seu ponto de vista, ainda não se tem conhecimento se um reforço de vacina após uma injeção da Janssen aumenta a proteção contra variantes, mas "é provável que funcione, visto que os reforços funcionam para quase todas as outras vacinas em uso".

(Imagem: Diana Polekhina/Unsplash)
(Imagem: Diana Polekhina/Unsplash)

Já Jason Gallagher, professor clínico de doenças infecciosas na Escola de Farmácia da Temple University (EUA), recebeu a vacina da Janssen em um teste em novembro e recentemente recebeu uma dose da vacina da Pfizer. O médico relata preocupação com os dados que sugerem que uma única injeção da vacina da Pfizer ou da AstraZeneca foi apenas 33% eficaz contra a COVID-19 sintomática, causada pela variante Delta.

Ainda em relação à Delta, não há dados sobre o quão bem a vacina da Janssen funciona contra a variante. De qualquer forma, o imunizante utiliza tecnologia de vetor viral e, em estudos, provou-se eficaz contra diferentes variantes do novo coronavírus — como a Beta, descoberta na África do Sul, e a Gama, que hoje é predominante no Brasil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos