Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.496,08
    +312,43 (+1,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Espanha registra segunda morte de paciente com varíola do macaco

Uma segunda pessoa com varíola do macaco faleceu na Espanha, informou neste sábado (30) o ministério da Saúde, um dia após o anúncio da primeira morte no país de uma pessoa infectada por esse vírus.

"Entre os 3.750 pacientes (...) 120 casos foram internados e dois morreram", declarou o Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias em seu último relatório, publicado hoje, sem especificar a data desta segunda morte.

Estas são as primeiras mortes na Europa de pessoas infectadas com o vírus varíola do macaco. Na sexta-feira, o Brasil anunciou uma morte.

Não há, porém, confirmação de que esses falecimentos foram causados pela varíola do macaco.

Um total de sete mortes foram registradas em todo o mundo desde maio, com as cinco primeiras relatadas na África, onde a doença é endêmica e onde foi detectada pela primeira vez em humanos em 1970.

Contactado pela AFP, o ministério espanhol não forneceu mais detalhes, especificando que se tratava de dois pacientes com "varíola do macaco" e referindo-se a "análises que poderão ocorrer posteriormente para poder determinar a causa da morte".

Na Espanha, um dos países com mais casos do mundo, 4.298 pessoas foram infectadas, segundo o último balanço do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias.

A maioria das contaminações está concentrada na Europa, com 70% dos 18 mil casos detectados desde o início de maio, e 25% nas Américas, segundo o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

A OMS emitiu o mais alto nível de alerta, de Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional (USPPI), em 24 de julho para fortalecer a luta contra a varíola do macaco, também conhecida como monkeypox.

mig/at/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos