Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.227,09
    +94,56 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.412,47
    +211,88 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,91
    -0,80 (-1,75%)
     
  • OURO

    1.813,10
    +1,90 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    17.108,45
    -870,72 (-4,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    335,96
    -34,56 (-9,33%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.362,93
    -28,16 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.537,31
    +240,45 (+0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.162,00
    +9,75 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3406
    +0,0029 (+0,05%)
     

Espanha mergulha em profunda recessão, colapso no turismo prejudica recuperação

Por Belén Carreño
·3 minuto de leitura
.
.

Por Belén Carreño

MADRID (Reuters) - A crise de coronavírus reduziu a pó a economia da Espanha, desencadeando sua pior recessão desde a guerra civil, com o colapso do número de turistas agravando as esperanças de uma recuperação rápida.

Atingida por um dos piores surtos da Europa e restrições mais rígidas, a economia espanhola ficou paralisada de março até o final de junho.

A economia recuou 18,5% no segundo trimestre, uma queda tão severa que acabou com toda a recuperação alcançada desde a crise financeira global de 2008, mostraram dados do Instituto Nacional de Estatística nesta sexta-feira.

"É uma economia de guerra", disse um hoteleiro da ilha de Maiorca, Lluis Rullan, que reabriu apenas um de seus dois estabelecimentos e limita os custos e os funcionários a um mínimo devido ao baixo número de visitantes.

O governo contava com turistas do norte da Europa e de outros países para impulsionar uma recuperação no terceiro trimestre, mas as quarentenas e a restrições de viagem frustraram as esperanças, enquanto a Espanha luta com novos surtos localizados de Covid-19.

Rullan, que opera em Soller, no noroeste de Maiorca, planejava 60% de reservas para agosto, mas agora espera apenas 20% para o que deve ser a alta temporada de verão.

Depois de o Reino Unido exigir aos viajantes provenientes da Espanha que entrassem em quarentena, a Alemanha desferiu outro golpe nesta sexta-feira, colocando três regiões espanholas -- incluindo a Catalunha, onde Barcelona está localizada -- em sua lista de regiões de alto risco.

"A economia espanhola não apenas foi uma das mais atingidas na zona do euro pela pandemia, como também parece ter uma recuperação muito mais fraca do que seus vizinhos", disseram analistas pessimistas da Capital Economics.

"TUDO ESTÁ VAZIO"

A Espanha normalmente recebe cerca de 80 milhões de turistas por ano e depende do turismo para 12,3% da produção econômica.

"Tudo está vazio. As pessoas não entram mais no bar", disse Alex Lazarowicz, cervejeiro artesanal britânico em Barcelona, cujo negócio sofreu com o ressurgimento de casos de Covid e recomendações de autoridades para que as pessoas fiquem em casa.

Com a economia hibernando e a maioria das lojas fechada até o início da reabertura em maio, os gastos e investimentos privados despencaram no segundo trimestre, causando um impacto muito maior na economia da Espanha do que em outros países europeus, como Alemanha, França e Itália, mostraram os dados.

Essa contração ocorreu após uma queda de 5,2% nos três primeiros meses, o pior trimestre dos registros modernos. Os historiadores dizem que apenas a guerra civil de 1936 a 1939 foi mais forte.

Alguns setores, no entanto, registraram dados positivos no segundo trimestre, como a agricultura, impulsionada pela forte demanda por alimentos. Um pacote de estímulo e medidas de saúde também ajudaram a aumentar os gastos públicos.

O governo prevê contração de 9,2% em 2020 como um todo, superando a queda durante a crise financeira da Espanha em 2008 a 2013, mas espera um crescimento de 6,8% em 2021.

(Reportagem dadicional de Isla Binnie e Joanna Jonczyk-Gwizdala)