Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,39
    -0,07 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.763,80
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    63.413,11
    +491,83 (+0,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.397,85
    +16,90 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.793,14
    -107,69 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    29.642,69
    +21,70 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    14.004,50
    -9,50 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7218
    +0,0007 (+0,01%)
     

Espanha descarta vínculo entre morte de mulher e vacina da AstraZeneca

·1 minuto de leitura
Frasco da vacina AstraZeneca/Oxford, em 29 de janeiro de 2021, em Colombo, Sri Lanka

As autoridades de saúde espanholas informaram nesta sexta-feira (19) que a recente morte de uma mulher por hemorragia cerebral não tem relação com a aplicação dois dias antes da vacina anticovid da AstraZeneca, que na próxima semana voltará a ser usada no país.

"Não existe nenhuma relação causa-efeito entre a aplicação da vacina da AstraZeneca e a morte desta mulher", declarou em coletiva de imprensa Jesús Aguirre, responsável de Saúde na região de Andaluzia (sul) onde a paciente morava.

Contatadas pela AFP, as autoridades de saúde da região confirmaram que não existia "relação causal" entre os dois acontecimentos, de acordo com os resultados preliminares da autópsia realizada nesta professora de 43 anos.

Esse caso era um dos três investigados na Espanha pela possível formação de coágulos sanguíneos em pessoas que receberam a vacina da AstraZeneca contra a covid-19.

Na quarta-feira, a ministra da Saúde Carolina Darias afirmou que em todos os casos havia um "vínculo temporário", mas que não foi estabelecido "um vínculo de causa-efeito".

Nesta quinta-feira, a Espanha anunciou que retomará a partir da próxima quarta a injeção de doses da AstraZeneca, depois que a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) a julgou "segura e eficaz".

Como outros países europeus, o governo havia suspendido seu uso em 15 de março devido às suspeitas de que podia causar trombose.

Até então, quase um milhão de espanhóis receberam esta vacina.

A pandemia de covid-19 causou ao menos 72.900 mortes e mais de 3,2 milhões de casos na Espanha de acordo com o balanço oficial do ministério da Saúde que, segundo reconhece o próprio Executivo, subestima o impacto real do vírus.

mig/dbh/es/aa