Mercado fechará em 4 h 6 min

Espanha amplia restrições ante aumento dos casos de coronavírus

Vendedor de bebidas em 9 de julho de 2020 na praia de Barceloneta, em Barcelona

Autoridades regionais da Espanha implementavam medidas para tentar conter as infecções pelo novo coronavírus, ante novos surtos, com Murcia (sudeste) proibindo nesta segunda-feira o lazer noturno em locais fechados e reuniões de mais de 15 pessoas.

"Novas medidas para impedir a COVID-19: proibição de entretenimento noturno em locais fechados. Somente varandas são permitidas. Máximo de 15 pessoas em reuniões", disse o presidente regional de Múrcia, Fernando López Miras, no Twitter.

Murcia, que também anunciou o fechamento de centros de lazer para idosos e restrições às visitas a esses locais em alguns municípios, é a última região a implementar medidas diante do aumento de casos de coronavírus.

A Espanha, país bastante atingido pela COVID-19, com mais de 28.400 mortes oficialmente notificadas, mantém mais de 200 focos ativos, especialmente preocupantes nas regiões de Aragón e Catalunha. Quinze destes focos foram detectados no fim de semana, anunciou o ministro da Saúde, Salvador Illa, em entrevista coletiva.

Os focos de contágio que surgiram nas últimas semanas provêm, em parte, dos trabalhadores agrícolas temporários e do relaxamento das medidas de segurança em locais de festa, em família ou em bares e casas noturnas, resumiu Illa.

"Não se deve temer o vírus, mas não se deve desrespeitá-lo", assinalou o ministro, pedindo à população que respeite rigorosamente as novas medidas tomadas pelas autoridades de Catalunha e Aragón.

Na Catalunha, autoridades regionais decidiram ontem estender aos municípios de Figueres, Vilafant e Sant Feliu de Llobregat a recomendação de ficar em casa e sair apenas se for imprescindível. A medida está em vigor desde a semana passada para cerca de 4 milhões de pessoas em Barcelona, Lleida e arredores, de acordo com o governo catalão.

No País Basco (norte), o governo regional anunciou, no fim de semana, o fechamento de centros diurnos para a terceira idade e restrições às visitas a lares para idosos.

Dada a aceleração das infecções - o Ministério da Saúde registrou quase 5.700 novos casos em uma semana na sexta-feira, em comparação com menos de 3.000 registrados uma semana antes -, quase todas as regiões da Espanha, com exceção principalmente de Madri, reforçaram o uso obrigatório de máscara, sob pena de multa, mesmo quando a distância física de segurança puder ser mantida.

O governo do socialista Pedro Sánchez garante que as regiões estão preparadas para enfrentar esses focos e descarta um novo estado de emergência, um regime excepcional que permitiu um confinamento rigoroso dos espanhóis de meados de março a 21 de junho.