Mercado abrirá em 7 h 36 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,28
    -0,46 (-0,58%)
     
  • OURO

    1.644,20
    -11,40 (-0,69%)
     
  • BTC-USD

    18.808,86
    -216,77 (-1,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    431,37
    -13,17 (-2,96%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.889,93
    -43,34 (-0,24%)
     
  • NIKKEI

    26.445,38
    -708,45 (-2,61%)
     
  • NASDAQ

    11.297,50
    -79,25 (-0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0819
    -0,0157 (-0,31%)
     

Escritórios do JPMorgan na Alemanha são alvo de busca em caso de escândalo financeiro

LONDRES (Reuters) - Autoridades alemãs executaram operação de busca em escritórios do JPMorgan em Frankfurt, confirmou um porta-voz do banco, à medida que investigações de longa data sobre um dos maiores escândalos financeiros do país no pós-guerra alcançam outra instituição financeira global.

O escândalo de negociação de ações conhecido como "cum-ex", que vem impactando os círculos políticos e financeiros alemães há vários anos, custou bilhões de euros aos contribuintes, segundo parlamentares.

Diversos bancos foram vasculhados por promotores que investigam possíveis irregularidades. Nos últimos meses, diligências foram realizadas nas filiais alemãs do Barclays, Bank of America e Morgan Stanley.

Funcionários do governo dizem que a investigação envolve cerca de 100 bancos em quatro continentes e pelo menos mil suspeitos.

"Podemos confirmar que nossos escritórios em Frankfurt foram sede de busca nesta semana. Continuamos a cooperar com as autoridades alemãs na investigação em andamento", disse um porta-voz do JPMorgan à Reuters em comunicado por e-mail.

O envolvimento do JPMorgan foi noticiado inicalmente pela Bloomberg News.

Os envolvidos no esquema negociariam rapidamente ações de empresas no dia do pagamento de dividendos, ofuscando a propriedade dos papéis e permitindo que várias partes reivindicassem falsamente descontos de impostos sobre dividendos.

(Por Sinead Cruise e Jaiveer Singh Shekhawat)