Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,27
    +2,15 (+2,62%)
     
  • OURO

    1.817,30
    -4,10 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    42.922,12
    -552,12 (-1,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.037,76
    +12,03 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.383,32
    -46,48 (-0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.124,28
    -364,82 (-1,28%)
     
  • NASDAQ

    15.616,75
    +126,50 (+0,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3174
    -0,0154 (-0,24%)
     

Escolha do analista: qual foi o melhor celular de 2021?

·7 min de leitura

O ano de 2021 trouxe algumas boas novidades ao mercado de celulares, especialmente entre os topo de linha. A Samsung agradou público e crítica com o Galaxy S21 Ultra; a Xiaomi encheu olhos com seu Mi 11 Ultra; o OnePlus 9 Pro foi muito bem aceito; e a série iPhone 13 também teve boa recepção. Qual deles é o melhor celular do ano?

Para definir, o Canaltech juntou seu time de analistas e especialistas em smartphones para dar notas a critérios específicos de cada aparelho.

Primeiro, cada um escolheu o celular que achou o mais interessante entre os lançamentos de 2021, para depois dar notas de 0 a 10 em quesitos como tela, hardware, bateria, câmeras, atualizações e até durabilidade.

Com as notas de cada um dos dez jurados (por assim dizer) em mãos, eu tirei uma média final para todos os dispositivos selecionados.

O que ficou com a maior média final foi eleito o melhor celular do ano de 2021, considerando seu conjunto geral. E ganhou o Mi 11 Ultra.

Para ficar claro: todos eles são excelentes, e possuem pontos fortes e pontos fracos.

A ideia aqui é mostrar, com critérios claros, qual foi considerado o melhor de todos entre uma equipe especializada. Cada quesito tem a média final (pois mais de uma pessoa escolheu o Mi 11 Ultra) e uma breve explicação do que foi considerado para a nota dada.

Tela

Nota final: 9,0

Mi 11 Ultra tem conjunto de câmera tão poderoso que a lombada é generosa (Imagem: Xingye Jiang/Unsplash)
Mi 11 Ultra tem conjunto de câmera tão poderoso que a lombada é generosa (Imagem: Xingye Jiang/Unsplash)

A questão do display é autoexplicativa. Quanto melhor a nitidez, mais precisas as cores e mais confortável o brilho para usar em diferentes ambientes, mais próximo de 10 será a nota.

Não dá para cravar a nota máxima neste quesito pois sempre há espaço para melhorar, mesmo com as tecnologias atuais.

Aqui, qualquer celular topo de linha chegaria ao menos próximo do 9. Alguns analistas podem tirar um ponto a mais pela questão do notch ou algum detalhe do tipo, mas entre os selecionados estão as melhores telas em smartphones da atualidade.

Hardware

Nota final: 9,6

O que considerar quando falamos em potência de hardware? Capacidade de processamento de dados e gráficos, principalmente. O Snapdragon 888 presente no Mi 11 Ultra é um dos melhores chipsets disponíveis no mercado atualmente.

Não chega ao 10 como o A15 Bionic, que tem potência de sobra para a necessidade atual, mas fica perto.

Conjunto de câmeras

Nota final: 9

Este talvez seja o quesito mais subjetivo para se analisar. O que seria um conjunto de câmeras perfeito?

Talvez aquele que alcance os resultados mais precisos em nitidez e cores e ainda apresente faixa dinâmica bastante alta? Não é o bastante, precisa fazer bons vídeos e ter recursos extras, como zoom.

O Mi 11 Ultra não é perfeito para fotos e nem mesmo para vídeos, mas é um smartphone excelente para ambos. E oferece uma quantidade incrível de recursos, com uma câmera periscópica e uma ultra wide para complementar a principal de alta resolução.

E tira selfies muito boas, além de ter a tela traseira que permite o uso do conjunto principal para autorretratos.

Isso tudo compensa as pequenas falhas da faixa dinâmica e a insistência em priorizar tons frios nas imagens. A riqueza de detalhes é tão impressionante que deixa em segundo plano esses pequenos problemas. Além disso, dá para corrigir na edição boa parte das vezes.

Bateria

Nota final: 7,3

Entre os quesitos considerados muito importantes tanto por especialistas quanto por entusiastas, a bateria é o ponto no qual o Mi 11 Ultra mais deixa a desejar.

Claro que estou falando da relação capacidade e duração real de uso, e é principalmente o segundo aquele em que o celular da Xiaomi fica mais abaixo dos concorrentes.

Sim, são 5.000 mAh de carga, o que é uma quantidade bem generosa. Mas os testes mostram que o Mi 11 Ultra tem duração consideravelmente menor do que Galaxy S21 Ultra ou iPhone 13 Pro, para citar os principais envolvidos na comparação.

Atualizações de software

Nota final: 6,7

Mi 11 Ultra tem tela na traseira para complementar conjunto de câmeras (Imagem: N.Tho.Duc/Unsplash)
Mi 11 Ultra tem tela na traseira para complementar conjunto de câmeras (Imagem: N.Tho.Duc/Unsplash)

Não tem muito o que explicar ao avaliar as atualizações de software: quantas versões do sistema recebe? Já sai de fábrica atualizado ou com uma versão mais antiga para receber uma e a empresa falar que liberou update?

Este é o ponto mais fraco do Mi 11 Ultra, de acordo com as avaliações dos especialistas do Canaltech.

Não é por menos: a Xiaomi é pouco transparente quanto a sua política de atualizações. E mesmo quando ela libera uma nova versão da MIUI, nada garante que o sistema por baixo seja a mais recente versão do Android.

Como a Xiaomi não divulga quantos updates pretende liberar para seus smartphones, o Mi 11 Ultra ficou com a menor média final neste quesito entre os aparelhos selecionados.

Tecnologias embarcadas

Nota final: 9,3

Para um celular realmente ser considerado um dos melhores do mercado, não basta trazer processador potente, espaço de sobra, tela bonita, câmeras poderosas e muita bateria.

Um smartphone top de linha de verdade traz muita tecnologia embarcada, com funções extras e o melhor que a indústria pode oferecer no momento.

Neste quesito, o Mi 11 Ultra sobra. O dispositivo tem suporte ao 5G, traz a versão mais recente do Bluetooth, a 5.2, tem sensor infravermelho e Wi-Fi 6 — incluindo o 6 GHz.

De quebra, ainda oferece recarga sem fio e sem fio reversa, ou seja, pode passar parte de sua carga para outros dispositivos sem necessidade de cabo.

Durabilidade

Nota final: 10

Aqui, levamos em conta a qualidade do material e a construção do aparelho para definir se sua carcaça aguenta bem a passagem do tempo.

Quanto melhor a nota, maior a probabilidade de o aparelho chegar ao fim da vida útil sem grandes estragos em seu corpo — desde que você cuide dele de maneira minimamente cuidadosa, claro.

Com traseira em cerâmica, laterais em alumínio e tela protegida pelo vidro Gorilla Glass Victus, o Mi 11 Ultra tem tudo para ser usado por muitos anos sem problemas.

Claro que se você deixar o aparelho cair no chão, e dependendo da maneira como ele chegar ao solo, pode ter trincos no display ou na traseira. Mas não existe nada indestrutível no mundo.

Manutenção e desvalorização

Nota final: 7,3

É importante que um bom celular seja fácil de consertar. Mas nem sempre você mesmo pode fazer os ajustes necessários, e quando falamos de um produto que — teoricamente — tem longa garantia, assistência técnica oficial é fundamental para isso.

Outro critério importante é a desvalorização do produto ao longo do tempo. Não apenas para você comprar nos primeiros momentos após o lançamento com tranquilidade de não gastar muito mais do que se esperasse algumas semanas, como também para revender por um preço bacana quando decidir trocar por um modelo mais avançado.

O Mi 11 Ultra não atende muito bem a nenhum desses dois quesitos. A assistência oficial de aparelhos Xiaomi não é fácil no Brasil, ainda. E o preço varia bastante ao longo do tempo, principalmente em marketplace.

Conclusão

Nota final: 8,54

Mi 11 Ultra é um conjunto completo (Imagem: Divulgação/Xiaomi)
Mi 11 Ultra é um conjunto completo (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

O Mi 11 Ultra é o melhor celular da Xiaomi no ano, isso não tem muito o que discutir. Seus pontos fortes são construção e material, desempenho, tela e conjunto de câmeras.

E mesmo devendo em atualizações, duração de bateria, facilidade de manutenção e desvalorização ao longo do tempo, conseguiu superar concorrentes poderosos como melhor do ano.

Galaxy S21 Ultra e iPhone 13 Pro ficaram com médias 8,33 e 8,45, respectivamente. Todos foram selecionados por três especialistas. Já o OnePlus 9 Pro foi a escolha de um, e ficou com média final de 8,37.

Isso significa que você deve trocar seu celular por um Mi 11 Ultra? Não necessariamente.

O aparelho da Xiaomi é poderoso, mas há pontos em que eu ficaria de olho antes de definir uma compra. Além da bateria não durar tanto quanto o esperado e as atualizações serem uma incógnita, o dispositivo não foi lançado oficialmente no Brasil.

Pode ser uma boa opção para importar, mas eu pensaria duas vezes antes de definir pelo Mi 11 Ultra.

Ainda mais quando Galaxy S21 Ultra e iPhone 13 Pro estão disponíveis no Brasil com garantia de um ano e são quase tão bons quanto o modelo da Xiaomi no geral.

Tem interesse em algum desses celulares? Encontre os melhores preços para cada um deles abaixo:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos