Mercado fechará em 44 mins
  • BOVESPA

    109.179,05
    +77,05 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.390,48
    -1.117,87 (-2,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,88
    -0,67 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.832,50
    -10,10 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    38.572,38
    -4.441,94 (-10,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    907,21
    +664,53 (+273,83%)
     
  • S&P500

    4.448,89
    -33,84 (-0,75%)
     
  • DOW JONES

    34.573,67
    -141,72 (-0,41%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.641,00
    -200,00 (-1,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1768
    +0,0467 (+0,76%)
     

Escolha do analista: qual é o melhor celular de 2021 no Brasil?

·6 min de leitura

A equipe de analistas de produtos do Canaltech costuma de dizer que o melhor celular é o qual atende às suas necessidades. No entanto, não se pode ignorar os smartphones lançados ao longo deste ano de 2021 que se propuseram a ser, de fato, os melhores que seu dinheiro pode pagar.

E nesses últimos 12 meses, o que mais tivemos foram apostas no segmento de celulares avançados no Brasil. A Samsung lançou cinco topos de linha nesse ano — incluindo dois dobráveis —, enquanto a Apple apresentou a linha iPhone 13 e a Motorola, o Edge 20 Pro. A Xiaomi também não ficou para trás com o Mi 11.

Mas, afinal, qual foi o melhor celular de 2021 no Brasil? Na minha opinião, foi o Samsung Galaxy Z Fold 3, novo dobrável da sul-coreana. Minha escolha não considera apenas o mecanismo flexível, mas, também, sua combinação de hardware e software competente para quem procura trabalhar e consumir conteúdos multimídia com qualidade.

Nos próximos parágrafos comentarei mais sobre a minha escolha, porém já abro o espaço para você comentar nas redes sociais do Canaltech qual smartphone se destacou positivamente em 2021. Vamos nessa?

Um dobrável mais resistente

O primeiro ponto de destaque do Galaxy Z Fold 3 é a construção. A Samsung fez um ótimo trabalho na estrutura do smartphone, utilizando materiais anticorrosivos no interior do aparelho, além de uma vedação de borracha na dobradiça e ao redor da tela interna.

Essas melhorias internas tornaram o Z Fold 3 resistente à água doce em até 1,5 metro de profundidade por até 30 minutos. Vale mencionar que ele é o primeiro smartphone dobrável do mundo a contar com a classificação IPX8.

O Samsung Galaxy Z Fold 3 é o primeiro smartphone dobrável com certificação à prova d'água (Imagem: Ivo/Canaltech)
O Samsung Galaxy Z Fold 3 é o primeiro smartphone dobrável com certificação à prova d'água (Imagem: Ivo/Canaltech)

Além da proteção contra líquidos, o celular da Samsung traz vidro Gorilla Glass Victus, o mais resistente do mercado, tanto na tampa traseira quanto na tela.

A moldura em volta do aparelho também recebeu novidades, trazendo um material 10% mais forte que o alumínio tradicional, segundo a própria empresa.

Nos testes do Canaltech, o Galaxy Z Fol 3 passou uma sensação de durabilidade muito grande. A empresa promete até 200 mil movimentos de abertura, algo que, no dia a dia, pode significar mais de três anos de uso sem sofrer nenhum dano na dobradiça.

Infelizmente, nem tudo são flores e ainda faltam alguns detalhes no projeto para deixá-lo perfeito. Por exemplo, quando fechado, o aparelho deixa um vão considerável na parte mais interna, abrindo espaço para acúmulo de sujeiras e outras partículas.

Um smartphone 2 em 1

O Galaxy Z Fold 3 tem duas telas de ótima qualidade. O display externo, de formato mais tradicional, tem 6,2 polegadas, proporção 25:9, taxa de atualização adaptável de até 120 Hz e painel AMOLED Dinâmico 2X, o mesmo presente no poderoso Galaxy S21 Ultra.

A tela externa do Z Fold 3 é muito parecida com a do <a class="link rapid-noclick-resp" href="https://canaltech.com.br/produto/samsung/galaxy-s21-5g/" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:Galaxy S21">Galaxy S21</a> (Imagem: Ivo/Canaltech)
A tela externa do Z Fold 3 é muito parecida com a do Galaxy S21 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Assim como em outros aparelhos top da Samsung, o visor de fora do Z Fold 3 oferece cores vibrantes, níveis de brilho agradáveis para utilizar em ambientes abertos, e a definição é muito boa.

Já a tela interna, visível ao desdobrar o smartphone, é o principal destaque. São 7,6 polegadas na proporção 5:4, ou seja, mais quadrado.

Ele também utiliza a tecnologia AMOLED Dinâmico 2x e a taxa de atualização adaptável de até 120 Hz do display externo, porém aprimora a resolução.

Se você sente falta dos smartphones da linha Galaxy Note, provavelmente o Galaxy Z Fold 3 deve ser uma boa opção. A tela grande é ótima para produtividade, e a interface One UI se adapta muito bem a ela, exceto em alguns aplicativos mais simples como o Instagram.

Além disso, o smartphone é compatível com a caneta S Pen, anteriormente exclusiva da linha Galaxy Note. Infelizmente, o acessório não vem com o aparelho, mas pode ser uma boa pedida para ter uma precisão extra ao desenhar, se você for designer.

Tela interna do Galaxy Z Fold 3 é excelente para produtividade e consumo de mídias (Imagem: Ivo/Canaltech)
Tela interna do Galaxy Z Fold 3 é excelente para produtividade e consumo de mídias (Imagem: Ivo/Canaltech)

Configurações potentes

Estamos falando de um aparelho topo de linha, portanto o Galaxy Z Fold 3 não faz mais que sua obrigação. Ele é equipado com o chipset Snapdragon 888 da Qualcomm, 12 GB de memória RAM, até 512 GB de armazenamento interno e suporte ao 5G.

É claro que nada trava por aqui, sejam jogos pesados, aplicativos de redes sociais, mensageiros e softwares de edição. Nos testes feitos pelo Canaltech houve apenas um aquecimento acima da média, mas nada que comprometesse a jogatina.

Vale mencionar que, por ser um topo de linha recente da Samsung, o Galaxy Z Fold 3 tem suporte garantido para mais de três anos, incluindo atualizações do Android.

Seja para produtividade ou consumo de mídias, o Galaxy Z Fold 3 é uma excelente pedida (Imagem: Ivo/Canaltech)
Seja para produtividade ou consumo de mídias, o Galaxy Z Fold 3 é uma excelente pedida (Imagem: Ivo/Canaltech)

Com relação à bateria, o Galaxy Z Fold 3 também se sai bem, ainda mais considerando as suas duas telas, seu alto processamento e seus recursos de câmera.

No nosso tradicional teste de reprodução na Netflix, com três horas de reprodução de vídeo, tela em 50% e conectado ao Wi-Fi, o aparelho conseguiu 19% de carga, melhor que o Edge 20 Pro, que tem bateria um pouco maior e apenas uma tela.

Com uso mais moderado, é possível passar um dia tranquilamente, colocando-o para carregar no começo do dia seguinte. Em outro teste, agora de uso normal, o Galaxy Z Fold 3 segurou 4,5 horas de tela ativa, com um total de 8 horas e 42 minutos de uso.

Quatro câmeras boas, uma decepcionante

O conjunto fotográfico do Galaxy Z Fold 3 não está à altura do seu irmão Galaxy S21 Ultra, mas a qualidade está dentro do esperado de um bom topo de linha. O smartphone tem cinco câmeras no total, sendo duas de selfies e três principais.

O melhor celular de 2021 no Brasil tem um total de 5 câmeras, mas só 4 prestam (Imagem: Ivo/Canaltech)
O melhor celular de 2021 no Brasil tem um total de 5 câmeras, mas só 4 prestam (Imagem: Ivo/Canaltech)

Todos os sensores fazem um excelente trabalho tanto em boas quanto em más condições de iluminação. A exceção é, justamente, uma das câmeras de selfie, a que fica sob a tela interna.

Com apenas 4 MP de resolução, o sensor tem qualidade bastante decepcionante para um celular tão caro.

Há perdas notáveis de nitidez, definição prejudicada e péssimos níveis de alcance dinâmico. Se você quiser fazer selfies, use a câmera frontal da tela externa ou o próprio conjunto traseiro, já que o sistema permite.

Nem tudo é perfeito

Nenhum celular é perfeito, e o Galaxy Z Fold 3 está longe de ser absoluto. Por ser um smartphone dobrável, fica o alerta para você tomar cuidado com a tela interna, pois deve acumular bastante sujeira e danificar principalmente o centro do visor.

Além disso, a câmera de selfie do display interno, apesar de ficar “escondida”, ainda chama bastante atenção por conta do círculo pontilhado na área do sensor. A qualidade das fotos desse sensor também deixou muito a desejar para um aparelho tão caro.

Também temos a questão do preço. Por trazer uma tecnologia relativamente nova, o Galaxy Z Fold 3 não é nada barato, podendo custar até R$ 12 mil na versão de 256 GB. Caso dinheiro não seja um empecilho para você, no entanto, o aparelho pode ser uma excelente pedida.

E aí, concorda com a minha escolha? Deixe sua opinião nas nossas redes sociais! Ah, e conte-nos qual smartphone mais se destacou nesse ano de 2021 para você.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos