Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,32
    +0,71 (+0,82%)
     
  • OURO

    1.794,90
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    37.258,00
    +271,26 (+0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    813,93
    -5,57 (-0,68%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.807,00
    -482,90 (-1,99%)
     
  • NIKKEI

    26.471,96
    +301,66 (+1,15%)
     
  • NASDAQ

    14.091,75
    +105,00 (+0,75%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0236
    -0,0004 (-0,01%)
     

Escolas públicas receberão R$ 3,5 bilhões para instalar internet

·1 min de leitura
Anteriormente o chefe do executivo vetou a MP. (EVARISTO SA / AFP via Getty Images)
Anteriormente o chefe do executivo vetou a MP. (EVARISTO SA / AFP via Getty Images)
  • MP libera R$ 3,5 bilhões para a compra de equipamentos e instalação de internet móvel em escolas

  • Tramite da medida provisória levou meses entre o Congresso Nacional e o Planalto

  • A verba será destinada aos estados e DF, por meio no Ministério da Educação.

Na última quarta-feira (29/12) o presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), aprovou a medida provisória que destina R$ 3,5 bilhões para a promoção da internet nas escolas públicas do país. Anteriormente o chefe do executivo vetou a MP.

Em março, o planalto justificou o veto sobre por ausência de estimativa de impacto orçamentário e financeiro da MP. Em junho deste ano o Congresso Nacional rejeitou o veto presidencial.

Leia também:

O senado e a câmara derrubaram o veto do executivo ao considerarem a necessidade de maior conectividade dos alunos em meio a pandemia do novo corona vírus.

Em agosto, para manter a decisão inicial, o executivo promulgou uma medida provisória para alterar o prazo para o pagamento do valor.

A verba gerada por meio de crédito extraordinário será destinado aos estados e ao Distrito Federal, por meio do Ministério da Educação, a fim de financiar a internet para alunos e professores do ensino básico.

O valor pode ser empenhado em terminais de acesso - como tablets e computadores - aos alunos e professores e instalação de serviços de conectividade móvel. Os investimentos são voltados a alunos atendidos por programas sociais e estudantes de comunidades indígenas, quilombolas e os professores

Com a edição da MP, a Secretaria-Geral da Presidência esclarece que a abertura do crédito extraordinário não impacta o teto de gastos por ser uma ação emergencial de espectro socioeconômico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos