Mercado abrirá em 5 h 52 min

Escassez de níquel pode desafiar metas climáticas

Bloomberg News

(Bloomberg) -- A escassez de níquel pode frustrar as ambições globais de desacelerar o aumento das temperaturas, de acordo com a consultoria Wood Mackenzie.

O níquel extra necessário nas baterias precisa mais do que dobrar a fim de diminuir o ritmo de aumento das temperaturas, segundo as metas do Acordo de Paris de 2015, disse Andrew Mitchell, chefe de pesquisa de níquel da WoodMac, em entrevista. Com isso, há o risco de esticar a oferta mundial até o limite diante da popularização de veículos elétricos e armazenamento em baterias, afirmou.

Limitar o aumento da temperatura global a 3 graus Celsius exigiria 80 mil toneladas de níquel adicional a cada ano até 2040, de acordo com a WoodMac. A meta de 2 graus Celsius sob o Acordo de Paris eleva esse volume para 180 mil toneladas.

“É um grande salto”, disse Mitchell. “Não é impossível, mas serão necessárias muitas coisas para fazer esse trabalho”.

A escassez de níquel para baterias pode durar até meados da próxima década, segundo a BloombergNEF. Mineradoras, como Glencore e BHP, destacaram a importância do níquel, cobre e outras matérias-primas que serão necessárias em energia renovável e transporte movido a bateria.

“Existe muito níquel por aí, mas o processamento não é fácil” e será necessário que o preço do níquel a longo prazo chegue a US$ 19 mil para incentivar o aumento da oferta, disse Mitchell. A cotação mais recente do metal era de US$ 16.245. A média deve ser de US$ 17 mil em 2020, disse Mitchell em apresentação na quarta-feira.

To contact Bloomberg News staff for this story: Martin Ritchie Shanghai, mritchie14@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Phoebe Sedgman, psedgman2@bloomberg.net, Keith Gosman, Jason Rogers

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

©2019 Bloomberg L.P.