Mercado abrirá em 4 h 13 min
  • BOVESPA

    110.786,43
    +113,67 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.298,20
    -104,50 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,13
    -0,29 (-0,35%)
     
  • OURO

    1.783,90
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    65.155,54
    +1.164,02 (+1,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.536,07
    +55,26 (+3,73%)
     
  • S&P500

    4.536,19
    +16,56 (+0,37%)
     
  • DOW JONES

    35.609,34
    +152,03 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.198,42
    -24,68 (-0,34%)
     
  • HANG SENG

    25.970,05
    -165,97 (-0,64%)
     
  • NIKKEI

    28.708,58
    -546,97 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    15.354,75
    -22,75 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4485
    -0,0711 (-1,09%)
     

ESA finaliza construção de complexo de onde o foguete Ariane 6 será lançado

·3 minuto de leitura

Nesta terça-feira (28), a Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou a inauguração de um novo complexo de lançamentos, construído para as operações do foguete Ariane 6. As novas instalações ficam no espaçoporto europeu na Guiana Francesa e podem até ser vistas do espaço, de tão grandes que são. Agora, a ESA avança mais um passo no desenvolvimento do foguete, seguindo também para testes da base para prepará-la para sua primeira campanha.

Daniel Neuenschwander, diretor de transportes espaciais na ESA, afirma que o complexo de lançamentos do Ariane 6 é uma grande conquista. “Ele representa uma parte vital de um programa de intensa atividade no espaçoporto da Europa, para prepará-lo para o primeiro voo do próximo veículo de lançamentos de última geração da ESA”, disse, em um comunicado. O Ariane 6 é o novo veículo lançador da Europa e irá substituir o Ariane 5 e, quando estiver pronto, ele irá oferecer mais performance e flexibilidade que seu antecessor.

O foguete Ariane 6 estará disponível em duas versões, uma com dois propulsores e outra com quatro, como no conceito acima (Imagem: Reprodução/ESA - D. Ducros)
O foguete Ariane 6 estará disponível em duas versões, uma com dois propulsores e outra com quatro, como no conceito acima (Imagem: Reprodução/ESA - D. Ducros)

As novas instalações contam com estruturas complexas instaladas na superfície e abaixo do solo, projetadas especialmente para dar suporte aos lançamentos do Ariane 6, estimados para acontecer na próxima década. Os componentes foram produzidos através de uma parceria entre a agência espacial francesa CNES e parceiros europeus da indústria. Assim, o complexo de lançamentos do Ariane 6 foi criado para otimizar tanto a performance do sistema quanto o fluxo de operações.

Para isso, o design das novas instalações foi desenvolvido a partir de lições aprendidas durante a construção e operação dos complexos de lançamentos de foguetes Ariane, Vega e Soyuz, já existentes. Há três elementos principais do complexo — um deles inclui a base de lançamentos, que mede 28,5 m de profundidade e 200 m de largura e é equipada com dois dutos de exaustão, além de uma torre móvel e o prédio de montagem do veículo de lançamentos.

Em seu centro fica a mesa de lançamentos, uma estrutura que protege os sistemas de suporte que vão sustentar o peso do foguete. A mesa pesa 700 toneladas, tendo 4 m de altura, 20 m de comprimento e 18 m de largura. Outro elemento é a torre móvel, onde acontecerá a integração final do Ariane 6. A torre mede 90 m de altura e 50 m de largura, e irá proteger o foguete na mesa de lançamentos durante cada campanha. Quando chegar o momento de posicioná-lo na vertical, os engenheiros vão usar plataformas para instalar o núcleo central na mesa, acrescentar os propulsores de acordo com a configuração do lançamento e integrar a carenagem que abriga a carga útil.

O complexo de lançaemntos (Imagem: Reprodução/ESA/CNES/Arianespace)
O complexo de lançaemntos (Imagem: Reprodução/ESA/CNES/Arianespace)

Por fim, o núcleo e os estágios superiores do foguete serão integrados horizontalmente, dentro do prédio de montagem, que mede 20 m de altura, tem 112 m de comprimento e 41 m de largura, ficando a aproximadamente 1 km da zona de lançamento. Depois, o veículo de lançamento será preparado para ir à zona de lançamento. Com a integração horizontal, o custo das instalações e da integração do lançador ficam reduzidas e oferecem um nível mais alto de flexibilidade e potencial de crescimento, além de facilitar o acesso ao foguete.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos