Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.101,99
    +1.088,52 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.508,35
    -314,88 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,61 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.839,40
    -3,20 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    40.717,02
    -1.124,44 (-2,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    992,43
    -2,83 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.482,73
    -50,03 (-1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,39
    -313,26 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.233,38
    -539,55 (-1,94%)
     
  • NASDAQ

    14.739,00
    -102,00 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1301
    -0,0373 (-0,60%)
     

Erupção do vulcão Cumbre Vieja chega ao fim após três meses de atividades

·2 min de leitura

A erupção do vulcão Cumbre Vieja, localizado nas Ilhas Canárias, chegou ao seu fim, segundo as autoridades locais que monitoram a região desde o início da atividade há quase três meses. Ainda assim, pesquisadores seguem medindo a emissão de gases das crateras, apesar da ausência de tremores.

O Cumbre Vieja entrou em atividade no dia 19 de setembro deste ano e permaneceu assim por quase três meses — precisamente, 85 dias. As cinzas e lavas do vulcão, destruíram ais de 3.000 propriedades e centenas de hectares da ilha de La Palma.

À medida que o fluxo de lava avançava em direção a costa, mais de 7.000 pessoas precisaram abandonar suas casas. Felizmente, nenhuma morte ou feridos relacionados à atividade vulcânica foram registrados.

Após 10 dias de uma calmaria — o maior período sem tremores desde o início da erupção — que começou em 13 de dezembro, as autoridades locais declaram que o vulcão não voltaria a atividade.

Monitoramento do vulcão continua

Mesmo sem os característicos tremores que anunciam a erupção de um vulcão, o Instituto Vulcânico das Canárias (Involcan) segue monitorando o fluxo de emissão de gases do Cumbre Vieja.

O vulcanologista Stavros Meletlidis, do National Geographic Institute, disse que o magma precisa de energia suficiente para chegar à superfície, o que explicaria também o declínio da quantidade de gases liberados pelo vulcão.

Esta foi a primeira erupção do Cumbre Vieja em 50 anos e também a mais longa — a última foi registrada em 1971. A atividade vulcânica, que também liberou gases tóxicos como dióxido de enxofre, suspendeu a temporada de turismo nas ilhas.

O magma que alcançou o oceano, deu origem a uma nova plataforma que aumentou o tamanho da ilha. O Cumbre Vieja chega ao fim de sua atividade atingindo 1.100 metros acima do mar com, pelo menos, seis principais crateras.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos