Mercado abrirá em 10 mins
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,51
    +3,36 (+4,93%)
     
  • OURO

    1.796,80
    +8,70 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    57.131,59
    +2.612,40 (+4,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.428,49
    -26,92 (-1,85%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.128,09
    +84,06 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    23.852,24
    -228,28 (-0,95%)
     
  • NIKKEI

    28.283,92
    -467,70 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.213,25
    +162,25 (+1,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3324
    -0,0161 (-0,25%)
     

Erro fez o Yahoo "sumir" dos resultados de busca

·3 min de leitura

O Yahoo.com foi cadastrado no registro antipirataria da Rússia na semana passada. Tudo começou com uma queixa de direitos autorais por pirataria da série de TV Secret Love feita pela Star Media Distribution. Em seguida, a URL, uma das mais visitadas do mundo (com mais de 3 bilhões de visitas por mês), foi adicionada à lista proibida em 26 de outubro e ficou lá por quatro dias, sem que ninguém percebesse.

Uma das principais ferramentas antipirataria disponíveis na Rússia é o documento assinado por empresas líderes dos setores de tecnologia e entretenimento em 2018. Depois do acordo, foi criado um banco de dados de conteúdo supostamente infrator que é consultado constantemente — a cada poucos minutos — por empresas de internet.

Imagem: Reprodução/Pixabay/Pete Linforth
Imagem: Reprodução/Pixabay/Pete Linforth

Quando esse material é localizado pelos sistemas de busca, os links correspondentes nos resultados da pesquisa são removidos automaticamente. O objetivo é tornar o conteúdo pirata mais difícil de encontrar. E embora tenha ajudado a remover milhões de links nos últimos anos, agora o caso do Yahoo evidenciou que o sistema não é lá totalmente perfeito.

Depois que uma URL é adicionada ao registro, as empresas signatárias do acordo têm de retirá-la de suas plataformas. O mecanismo de buscas local Mail.ru (operado pela VK) consultou o banco de dados e concluiu que o Yahoo.com havia cometido uma infração. Em seguida, bloqueou todo o domínio em seus resultados de pesquisa. A partir daí, para os usuários de pesquisa do Mail.ru, o Yahoo!, seu concorrente, deixou de existir.

Bloqueio de quatro dias

O erro só foi identificado após quatro dias. O Mail.ru informou os operadores do registro que inserir um domínio inteiro era errado e, após revisão, o Yahoo.com foi removido da lista. Mesmo assim, a falha atraiu a atenção de outros mecanismos de buscas e do governo.

Na sexta-feira passada (29), o buscador Yandex entrou em contato com a Media Communications Union, que administra a lista de pirataria da Rússia, para pedir que o órgão verificasse a legalidade de adicionar o Yahoo.com ao banco de dados.

Yandex e Rambler não removeram a URL, diferentemente do Mail.ru. Segundo o Yandex, os termos do acordo indicam que todas as reclamações devem ser verificadas para garantir que são válidas. Nesse caso, o buscador imaginou que algo havia dado errado.

Imagem: Reprodução/Envato/Olivier_Le_Moal
Imagem: Reprodução/Envato/Olivier_Le_Moal

O pedido do Yandex informa que “[quando as regras são seguidas] abusos e bloqueios incorretos de domínios podem ser evitados”. “Esse deveria ser um passo extremo, já que, no caso de um erro, tanto os proprietários do site quanto seus parceiros e usuários são afetados”.

Em resposta às consequências do registro errôneo do Yahoo!, o governo russo diz que, antes que os sites sejam adicionados à lista, os responsáveis por ele devem ser avisados. Além disso, devem ser fornecidas evidências de que as publicações são realmente ilegais e elas devem ser verificadas, para garantir que erros como esse sejam evitados.

A Star Media, responsável por registrar a reclamação, não quis comentar o erro em detalhes. A empresa apenas diz que a questão está sendo “resolvida”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos