Mercado abrirá em 2 h 9 min
  • BOVESPA

    120.705,91
    +995,88 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.829,31
    +80,90 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,45
    +0,63 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.834,70
    +10,70 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    50.473,33
    +1.052,95 (+2,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.400,79
    +12,88 (+0,93%)
     
  • S&P500

    4.112,50
    +49,46 (+1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.021,45
    +433,79 (+1,29%)
     
  • FTSE

    7.009,93
    +46,60 (+0,67%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.233,25
    +133,00 (+1,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4257
    +0,0132 (+0,21%)
     

Erro faz 46 pessoas receberem vacina contra a Covid-19, entre elas 1 gestante e 28 crianças

MARCELO TOLEDO
·2 minuto de leitura

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Um envio errado de frascos da Coronavac, vacina contra a Covid-19, para um local em que estava sendo realizada a campanha de vacinação contra gripe fez com que 46 pessoas fossem imunizadas indevidamente contra o novo coronavírus, entre elas uma gestante e 28 crianças. O problema ocorreu em Itirapina (a 215 km de São Paulo) e foi detectado nesta quarta-feira (14) pela própria prefeitura, que informou ter aberto investigação para a apuração de responsabilidades. Foram imunizados erroneamente na terça-feira (13) 18 adultos, entre elas a gestante, e 28 crianças, no posto de vacinação montado na escola municipal José Cruz. A falta das 46 doses da Coronavac foi percebida durante o controle do estoque das vacinas e, de acordo com a prefeitura, imediatamente verificou-se a possibilidade de que o erro pudesse ter sido cometido por uma técnica de enfermagem ao fazer a separação da caixa com os frascos da vacina. Após detectar o erro, a Secretaria da Saúde de Itirapina procurou pessoalmente as famílias dos 46 vacinados para informar sobre o engano. A Vigilância Epidemiológica de Piracicaba foi informada sobre o episódio e também sobre quais medidas deveriam ser tomadas pela administração em relação ao caso. Até o momento, nenhuma anormalidade foi detectada, de acordo com a administração. As pessoas que deveriam receber a vacina da gripe (influenza), mas que receberam a Coronavac, serão acompanhadas por 14 dias por uma equipe médica. Nesta quinta-feira (15), 26 dos 46 vacinados indevidamente passaram por consultas médicas, inclusive a gestante, que foi atendida por um clínico geral e um obstetra. Já as famílias das crianças, de acordo com a prefeitura, também estão sendo orientadas por uma pediatra, que está fazendo a avaliação das imunizadas. "Todas as providências para a segurança dessas pessoas foram tomadas e, segundo orientação dos médicos especialistas consultados, o fato não traz riscos para a saúde dos envolvidos", diz trecho de comunicado da prefeitura. Itirapina registrou até aqui 32 óbitos e 1.282 casos confirmados da Covid-19. Tomar a vacina errada não é um fato inédito em São Paulo. Na terça-feira (13), devido a uma falha interna de comunicação na Secretaria Municipal da Saúde, 103 agentes de trânsito da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) receberam por engano a primeira dose da vacina contra a Covid-19 na capital. Todos deveriam ter sido imunizados contra a gripe. No texto, é afirmado que agentes da CET estavam autorizados a tomar "a vacina contra a Covid-19". Menos de duas horas depois, um novo comunicado foi enviado, informando que a vacina correta seria contra a influenza. Entre um comunicado e outro, 103 agentes foram vacinados em postos na Vila Medeiros (Zona Norte), Penha (Zona Leste), Cambuci (Centro) e Butantã (Zona Oeste). Eles receberão a segunda dose da vacina, segundo a Secretaria da Saúde.