Mercado fechado

Erro em dado de exportação reflete corte de orçamento e pessoal, diz sindicato

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os constantes erros na divulgação de dados das exportações brasileiras pelo Ministério da Economia em 2019 podem estar relacionados aos cortes orçamentários feitos pela própria área econômica, de acordo com o ASSIBGE, sindicato dos funcionários do IBGE.

A entidade divulgou notas nesta quarta-feira (4) na qual cita a reportagem do jornal Financial Times "Falha em dados econômicos brasileiros preocupa analistas".

Na segunda-feira (2), o Ministério da Economia informou que uma falha no sistema de coleta e transmissão de dados do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) levou a uma correção nos dados da balança comercial de setembro, outubro e novembro. Ao todo, a diferença entre os dados anteriores e os atualizados chegam a US$ 6,5 bilhões.

Na semana passada, os dados de novembro já haviam sido corrigidos. A divulgação incorreta foi um dos motivos da alta do dólar na semana. Após a correção, o déficit registrado de US$ 1,1 bilhão no mês virou um superávit de US$ 2,7 bilhões.

Nesta terça-feira (3), o IBGE divulgou os dados do PIB (Produto Interno Bruto) do 3º trimestre deste ano e também a revisão dos números de 2018 e dos seis primeiros meses de 2019.

O IBGE informou que os erros nos dados da balança obrigarão o instituto a rever os números do último trimestre. Disse que também houve erros nas divulgações do período janeiro-junho 2019, o que já motivou a revisão do PIB desse período. A maior mudança foi a contribuição das vendas ao exterior, antes positiva em 1% no 1º trimestre, para -1,6%.

“Embora não recaia sobre o IBGE nenhuma suspeita ou dúvida sobre a capacidade técnica, o ocorrido nos causa preocupação”, diz o sindicato.

“A falha nos dados da Secex pode ser resultado do processo da precariedade orçamentária e do desmonte do quadro de pessoal dos órgãos técnicos, processo que também vitima o IBGE e representa um risco real ao sistema estatístico nacional. Além disso, é preciso lembrar que o governo pretende privatizar o Serpro e a destruição do órgão serve a esse propósito.”

O IBGE também divulgou nota sobre o assunto nesta quarta-feira. Informou que, na divulgação do PIB do 4º trimestre de 2019, que ocorrerá no dia 4 de março de 2020, será feita uma revisão nos resultados do 3º trimestre.

Veja a íntegra das notas:

"NOTA TÉCNICA - Sistema de Contas Nacionais Trimestrais: 3º trimestre de 2019

Em função da modificação nos dados das exportações de bens de setembro, publicados pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), o IBGE esclarece que, na divulgação do quarto trimestre de 2019, que ocorrerá no dia 4 de março de 2020, será feita uma revisão nos resultados do terceiro trimestre. Cabe informar que as estimativas trimestrais são ancoradas, principalmente, no desempenho das atividades econômicas, até por disporem de mais informação conjuntural, e que essas não sofrerão alterações significativas.

Nos sistemas estatísticos em todo o mundo a revisão de dados faz parte do processo. Revisões do trimestre anterior estão previstas na metodologia das Contas Trimestrais, como citado a seguir: “Caso tenha ocorrido mudanças relevantes, as Contas Trimestrais do trimestre imediatamente anterior podem ser revistas em divulgação posterior, com a substituição de projeções anteriores pelos dados realizados e a introdução de alguma revisão de dados fornecidos pelas pesquisas conjunturais do IBGE ou de outros órgãos.” - Série de Relatórios Metodológicos, volume 28, Contas Nacionais Trimestrais, ano de referência 2010, 3º edição.

Ainda não houve a incorporação da revisão das exportações, uma vez que essa foi publicada na véspera da divulgação dos resultados das contas nacionais trimestrais do terceiro trimestre.

Diretoria de Pesquisas do IBGE

04 de dezembro de 2019"

*

"Esclarecimentos a respeito da matéria do Financial Times sobre dados econômicos brasileiros

Na terça-feira, 3/12/2019, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia anunciou uma revisão nos dados relativos as exportações para os meses de Setembro, Outubro e Novembro de 2019. A revisão ocorre em função de um erro de programação no sistema mantido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Nesse contexto, repercutiu na imprensa brasileira a matéria do jornal britânico Financial Times, com título "Falha em dados econômicos brasileiros preocupa analistas".

Ao contrário do que alguns sites brasileiros noticiaram, o Financial Times não apontou manipulação de dados, e sim um contexto de precarização técnica.

Nas palavras dos analistas ouvidos pelo jornal "não existe suspeita de que os dados foram manipulados" e "o mais provável é que a explicação real seja que o Ministério da Economia (...) tenha caído vítima das medidas de corte de custo que ele mesmo decretou. 'As contratações estão congeladas e muita gente está se aposentando, e por isso eles estão sobrecarregados' ”.

Cabe esclarecer que órgãos do Governo Federal como Banco Central, Secretaria de Comércio Exterior e IBGE possuem uma longa tradição na divulgação de dados estatísticos. A excelência desse trabalho é reconhecida nacional e internacionalmente. A construção da robustez dessas informações produzidas pelo Estado brasileiro só foi possível pela competência e dedicação de servidores comprometidos com a função pública.

Embora não seja o produtor dos dados impactados pela falha de programação, o IBGE foi afetado pelo erro, na condição de usuário da informação, uma vez que os dados da Secex são utilizados para apuração do PIB pelo IBGE.

A acusação de manipulação de dados, incompetência ou mesmo negligência em uma revisão de dados constitui pura leviandade e um imenso desrespeito aos servidores desses órgãos, principalmente em tempos em que toda a produção de conhecimento sofre ataques cotidianos.

As divulgações trimestrais do PIB pelo IBGE são sempre provisórias, passando regularmente por revisões posteriores - procedimento absolutamente normal e saudável. Nesse sentido, a correção dos dados da Secex deve ser avaliada e os ajustes necessárias feitos nos dados do PIB.

Embora não recaia sobre o IBGE nenhuma suspeita ou dúvida sobre a capacidade técnica, o ocorrido nos causa preocupação.

A falha nos dados da Secex pode ser resultado do processo da precariedade orçamentaria e do desmonte do quadro de pessoal dos órgãos técnicos, processo que também vitima o IBGE e representa um risco real ao sistema estatístico nacional. Além disso, é preciso lembrar que o governo pretende privatizar o Serpro e a destruição do órgão serve a esse propósito.

Como aponta o próprio Financial Times, o Brasil é referência internacional em qualidade dos dados. Esse é um patrimônio que deve ser defendido.

ASSIBGE - Sindicato Nacional"