Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.612,00
    -1.768,20 (-2,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Erdogan e Putin destacam avanço de projeto de central nuclear russa na Turquia

·1 minuto de leitura
Presidente russo, Vladimir Putin, olha para tela que mostra o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, durante cerimônia de lançamento da construção de um terceiro reator da usina nuclear

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e o russo, Vladimir Putin, celebraram nesta quarta-feira (10) uma etapa importante na construção de uma usina nuclear russa na Turquia, prometendo fortalecer ainda mais sua cooperação, algo que irrita Washington.

Durante uma cerimônia por videoconferência, os dois líderes lançaram oficialmente a construção do terceiro dos quatro reatores que irão compor a usina de Akkuyu, localizada no sul da Turquia.

Construída pela Rosatom, gigante nuclear russa, a usina começará a operar em 2023, coincidindo com o centenário da República da Turquia.

"Este projeto gigantesco é um dos símbolos da cooperação russo-turca", enfatizou Erdogan. "Compartilhamos com o presidente Putin o mesmo desejo de expandir essa cooperação", acrescentou.

Por sua vez, Putin disse que deseja que este projeto "contribua para fomentar a parceria turco-russa em todas as suas facetas e fortaleça a amizade e o entendimento mútuo entre os povos de nossos países".

Apesar de suas divergências sobre os conflitos na Líbia e na Síria, onde apoiam partes adversárias, Moscou e Ancara têm se aproximado consideravelmente nos últimos anos, a ponto de irritar os aliados ocidentais da Turquia, que integra a Otan.

Por exemplo, a compra de mísseis russos S-400 por Ancara causou uma crise com os Estados Unidos que ainda persiste.

A construção de Akkuyu, cujo custo está estimado em 20 bilhões de dólares, tornou-se um verdadeiro símbolo do "calor" dessas novas relações.

Segundo Erdogan, essa usina poderia atender 10% da demanda de eletricidade da Turquia, país que sofre grande dependência de hidrocarbonetos importados.

bg/gkg/age/mb/mr