Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,30 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,36 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,55
    -1,73 (-2,27%)
     
  • OURO

    1.748,80
    -5,20 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    16.207,70
    -284,21 (-1,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,33
    -2,32 (-0,61%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,93 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.000,23
    -573,35 (-3,26%)
     
  • NIKKEI

    28.140,98
    -142,05 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    11.680,50
    -102,25 (-0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6041
    -0,0203 (-0,36%)
     

Equipamento fotográfico de quase 100 anos é encontrado em geleira no Canadá

Uma equipe de cientistas e exploradores encontrou, após meses de busca, uma enorme quantidade de equipamento fotográfico deixada para trás pelo fotógrafo e cartógrafo Bradford Washburn em 1937, no Canadá.

Washburn foi o responsável por imagens incríveis de montanhas nos Estados Unidos e no Canadá, além de ter sido um dos pioneiros da aerofotografia para o estudo de montanhas. Em uma expedição ao Monte Lucania, terceiro mais alto do Canadá, ele foi obrigado pelo tempo ruim a se livrar de boa parte de suas câmeras, equipamentos de pesquisa e suprimentos para sair com vida.

Pesquisadores comparam imagens da época em que as câmeras foram perdidas com a paisagem atual (Imagem: Reprodução/Teton Gravity Research)
Pesquisadores comparam imagens da época em que as câmeras foram perdidas com a paisagem atual (Imagem: Reprodução/Teton Gravity Research)

Para a equipe de busca, foi como procurar uma agulha em um palheiro: em 85 anos, as geleiras que cobrem a montanha podem se mover e mudar drasticamente de forma. Sabia-se que o equipamento havia ficado na remota Geleira de Walsh. Foi comparando a paisagem atual com fotografias da época e calculando a taxa com que a geleira deve ter se movido que eles chegaram a localização precisa.

A responsável pelos cálculos foi a cientista Dora Medrzycka, da Universidade de Ottawa. Ela afirma que a Geleira de Walsh revelou um comportamento atípico, tendo picos de movimento de um ou dois anos a cada década. Isso dificultou a busca, mas o equipamento foi encontrado cerca de 5 quilômetros abaixo do que se imaginava inicialmente, a um total de 22 quilômetros de distância de onde havia sido deixado.

Câmera filmadora DeVry, modelo conhecido como
Câmera filmadora DeVry, modelo conhecido como "lancheira", foi uma das encontradas na geleira (Imagem: Reprodução/Teton Gravity Research)

O equipamento encontrado inclui uma câmera de aerofotografia Fairchild F-8 e duas filmadoras da época ainda com filmes dentro delas. Os exploradores esperam conseguir revelá-lo para obter imagens inéditas das geleiras e entender mais de seu processo de mudança ao longo do tempo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: