Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    43.655,59
    -3.537,13 (-7,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,29 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7489
    +0,0100 (+0,15%)
     

Equinor vende ativos de "shale" nos EUA; tem prejuízo recorde em 2020

Nerijus Adomaitis
·2 minuto de leitura

Por Nerijus Adomaitis

OSLO (Reuters) - A norueguesa Equinor fechou um acordo para a venda de seus ativos de "shale" (petróleo não convencional) em Bakken, nos Estados Unidos, após uma década de prejuízos multibilionários e críticas por decisões erradas de investimento.

A Equinor venderá os ativos nos Estados de Dakota do Norte e Montana para a Grayson Mill Energy, empresa apoiada pela companhia de private equity EnCap Investments, por cerca de 900 milhões de dólares.

A região de Bakken foi desenvolvida durante o "boom do shale" dos EUA na década passada, e atualmente produz mais de 1 milhão de barris de petróleo por dia, cerca de metade do pico atingido no final de 2019.

A região tem um alto custo de produção por barril, e as demandas de investidores por disciplina fizeram com que os produtores reduzissem o bombeamento desde o início da pandemia de coronavírus.

"A Equinor está otimizando seu portfólio de óleo e gás para fortalecer a lucratividade e torná-lo mais robusto para o futuro", disse em comunicado o presidente-executivo da empresa, Anders Opedal.

Opedal preferiu não dizer se a Equinor planeja vender mais ativos no exterior, mas acrescentou que a empresa está satisfeita com suas operações remanescentes nos EUA.

"Ainda temos uma boa posição na bacia de Marcellus e também no Golfo do México nos EUA", disse ele à Reuters. "Também vamos focar em nossas operações no Brasil e no Reino Unido, e buscaremos aprimorar nossos negócios internacionais como operadores ou sócios", acrescentou.

Entre 2007 e 2019, a Equinor registrou perdas contábeis de 21,5 bilhões de dólares em suas atividades nos EUA, incluindo 9,2 bilhões de dólares devido a baixas contábeis de ativos de "shale" em terra e outros ativos, segundo um relatório de contadores da PwC encomendado pela empresa.

PREJUÍZO

Em balanço divulgado à parte, a Equinor reportou um prejuízo anual recorde de 5,5 bilhões de dólares em 2020, uma vez que a pandemia pressionou as cotações do petróleo e gás e desencadeou baixas contábeis expressivas.

A empresa também reduziu os investimentos planejados para 2021-2022.

Agora, a petroleira pretende investir de 9 bilhões a 10 bilhões de dólares em cada um dos dois anos, ante previsão anterior de 10 bilhões de dólares para 2021 e 12 bilhões de dólares para 2022.

A Equinor registrou lucro operacional ajustado de 756 milhões de dólares no quarto trimestre, em linha com as previsões de analistas, e pagará um dividendo trimestral 0,12 dólar por ação --alta de 0,01 dólar frente ao terceiro trimestre, mas abaixo dos 0,27 dólar de um ano antes.