Mercado fechado

Epidemia do novo coronavírus pode impactar a indústria espacial na China

Wagner Wakka

A epidemia do novo coronavírus está impactando vários setores da indústria chinesa. Na tentativa de impedir que a doença se espalhe ainda mais, muitas empresas prolongaram o feriado do ano novo chinês, e essa medida também foi adotada por membros da indústria espacial local, que pode ter de atrasar cronogramas de lançamentos por conta disso.

A China Aerospace Science and Technology Corporation (CASC), por exemplo, tem programado para este ano mais de 40 lançamentos. A companhia estatal já retomou os trabalhos, colocando fim à pausa do ano novo, mas isso não significa a normalidade das operações. Por conta de restrições de trânsito no país, muitos funcionários de diversas companhias ainda não voltaram a seus postos de trabalho.

Entre os institutos aeroespaciais impactados estão o Academy of Launch Vehicle Technology e o Shanghai Academy of Spaceflight Technology (SAST), ambos voltados para desenvolvimento de tecnologias de foguetes. E, mesmo a quem já voltou ao trabalho, há medidas de segurança que atrapalham o andamento normal de suas atividades. Por exemplo, há medidores de temperatura corporal, uso de máscaras e redução de aglomerações em espaços comuns. Apesar de não se ter um levantamento completo sobre o impacto do novo coronavírus na indústria espacial, há já informações sobre atrasos. A Capital Aerospace Machinery, companhia também filiada ao governo, disse que está retomando aos poucos os trabalhos após o feriado de 25 de janeiro, mas operando em ritmo mais lento.

Por outro lado, a Xichang Satellite Launch Center conseguiu avançar para a preparação de um lançamento do foguete Long March 2D. Além deste, outro foguete também deve ser testado em meio ao surto do coronavírus — o Long March 5B já foi enviado para Wenchang, região do lançamento que teve centenas de casos da doença e até duas mortes confirmadas.

Com epicentro dem Wuhan, o novo coronavírus já soma mais de 30 mil casos somente na China, com mais de 260 confirmados fora do país. Até o momento, foram confirmadas mais de 630 mortes relacionadas à doença.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: