Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,07 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    29.970,63
    +491,09 (+1,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,54 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,23 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1406
    -0,0782 (-1,50%)
     

Enxurrada de GNL com desconto sobrecarrega terminais na Europa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- Os terminais de importação de gás natural liquefeito da Europa funcionam a todo vapor para processar uma quantidade recorde de embarques, o que alivia os temores de um corte nos fluxos russos.

A União Europeia busca reduzir as importações de gás russo em favor de mais GNL, mas o aumento dessas importações esbarra com a capacidade da infraestrutura da região de lidar com os volumes até que mais instalações sejam construídas. As importações de GNL atingiram níveis recordes este mês nos principais mercados do noroeste da Europa, segundo dados de rastreamento de navios e portos.

A Europa tornou-se o mercado de GNL mais lucrativo este ano em meio a preocupações sobre cortes de abastecimento da Rússia. Além disso, a demanda fraca na Ásia devido a amplos estoques e surtos de Covid-19 pesou nos preços na região.

Isso levou fornecedores de GNL a oferecerem cargas para a Europa com descontos sem precedentes para conquistar negócios, de acordo com operadores de mercado.

O combustível, que é transportado para o exterior por navios-tanque, é uma ferramenta crucial para os países que desejam se livrar do gás russo. Polônia e Bulgária - que tiveram seus suprimentos russos interrompidos na quarta-feira - estão entre aqueles que planejam aumentar seu consumo de GNL. O problema é que a capacidade já está esgotada e leva tempo para construir ou expandir terminais.

Alguns fornecedores de GNL ofereceram cargas para a Europa com descontos de mais de 20% em relação aos preços de referência para garantir vaga nos terminais, que quando disponíveis são ocupados rapidamente, disseram operadores. Se mais embarques continuarem chegando e usando a capacidade dos terminais, os descontos podem aumentar ainda mais, pois os navios-tanque serão forçados a fazer fila fora dos portos ou até mesmo desviar para destinos alternativos.

A interrupção dos fluxos da Rússia para a Polônia e a Bulgária pode impulsionar ainda mais a demanda de GNL e destaca o risco de oferta mais apertada. Embora os futuros de gás europeus tenham subido esta semana em meio a preocupações com a oferta, eles permanecem bem abaixo do pico visto no início de março.

As vendas de GNL para a Europa permanecerão mais atraentes do que para a Ásia por pelo menos mais um ano, disse o Goldman Sachs no início deste mês. Enquanto isso, restrições estritas de vírus e preços sazonalmente altos esfriam demanda de GNL na China, o maior importador do mundo.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos