Mercado fechará em 2 h 46 min
  • BOVESPA

    103.810,15
    +1.894,70 (+1,86%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.451,76
    +753,04 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,60
    +2,42 (+3,66%)
     
  • OURO

    1.789,10
    +12,60 (+0,71%)
     
  • BTC-USD

    58.948,61
    +1.638,69 (+2,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.502,05
    +32,97 (+2,24%)
     
  • S&P500

    4.647,95
    +80,95 (+1,77%)
     
  • DOW JONES

    34.967,34
    +483,62 (+1,40%)
     
  • FTSE

    7.153,83
    +94,38 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.364,00
    +213,50 (+1,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3718
    +0,0018 (+0,03%)
     

Enviado dos EUA espera acordo sobre mercado de carbono em COP26

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- O enviado do clima dos Estados Unidos, John Kerry, acredita que as negociações da COP26 vão resultar em um acordo sobre as regras para o comércio de carbono, o que seria uma grande vitória depois de mais de seis anos de esforços fracassados.

Most Read from Bloomberg

“Acredito que sim”, disse em entrevista ao editor-chefe da Bloomberg, John Micklethwait, em Glasgow. “Poderíamos terminar o livro de regras”, afirmou, acrescentando que está pronto para arriscar.

Conseguir um acordo sobre as regras para o comércio de créditos de carbono e compensações marcaria um ponto de inflexão na diplomacia climática. O pacto deve trazer transparência e rigor contábil ao mercado de compensações e ajudar países e empresas a reduzirem as emissões. Mas as conversas até agora têm sido tensas e um conjunto complexo de regras técnicas ainda precisa ser resolvido.

Kerry minimizou expectativas de uma grande nova declaração sobre a ambição climática em Glasgow, quando negociadores começam a redigir o texto que encerrará a cúpula nesta semana.

“Se eu quiser lidar com a lista de desejos, claro, quero ver algo extra”, disse em evento da Bloomberg Green. “Mas temos que lidar com a realidade.”

Kerry também disse que negocia com a Rússia e a China para que esses países participem de um acordo para reduzir as emissões de metano. “Estamos trabalhando nisso”, disse, acrescentando que as negociações terminaram às 3h da madrugada.

O acordo sobre emissões de metano é uma das principais conquistas da cúpula até agora: mais de 105 países assinaram para reduzir as emissões em 30%. Ainda assim, não é vinculante, sendo um objetivo coletivo, e não individual. Kerry também rebateu críticas à China, dizendo que os planos do país mostram que “eles farão muito”.

Quanto aos EUA, Kerry elogiou a meta do governo Biden de descarbonizar o setor de energia até 2035 e disse que o país não terá usinas movidas carvão até 2030.

Agora as partes iniciam discussões detalhadas em Glasgow, e um tema emergente é como pressionar países a continuarem aperfeiçoando os planos climáticos e garantir que haja avanço na próxima década. Algumas nações não atualizam seus planos desde 2016.

Kerry disse que seria uma “loucura” não monitorar o andamento dos planos a cada ano e gostaria que isso fosse refletido no texto final da cúpula, que termina em 12 de novembro.

“Precisamos medir a ambição”, disse. “Esta é uma longa jornada, e agora é realmente o teste para ver se podemos chegar lá.”

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos