Mercado fechará em 6 h 28 min

Entrevista de O.J. Simpson chama atenção nas redes sociais, mas “American Idol” lidera na TV dos EUA

O.J. Simpson durante audiência em Lovelock 20/7/2017 REUTERS/Jason Bean

LOS ANGELES (Reuters) - Uma entrevista de mais de 10 anos na qual O.J. Simpson deu uma descrição hipotética sobre como pode ter assassinado sua ex-mulher agitou as redes sociais, mas norte-americanos se mostraram mais interessados em assistir ao retorno da competição “American Idol”, indicaram nesta segunda-feira dados de audiência da TV dos Estados Unidos.

Cerca de 10,3 milhões de norte-americanos assistiram à estreia de duas horas de duração do “American Idol” na noite de domingo na ABC, comparados aos 4,4 milhões que sintonizaram a transmissão da rival FOX da fita de 2006 em um programa chamado “O.J. Simpson: The Lost Confession?”, de acordo com a Nielsen.

    A Fox transmitiu pela primeira vez um vídeo de 2006 no qual Simpson falou sobre seu casamento com Nicole Brown Simpson e deu uma descrição hipotética dos eventos da noite de junho de 1994 em que ela e seu amigo Ron Goldman foram assassinados na casa dela em Los Angeles.

    Simpson foi absolvido de homicídio duplo em 1995, após um julgamento de 13 meses de um caso que continua fascinando norte-americanos. A entrevista de 2006 e um livro escrito por Judith Regan baseado nos relatos foram retirados de publicação na época por conta de reações negativas do público.

    A hashtag no Twitter #DidOJConfess foi uma das mais usadas na noite de domingo, mas poucas pessoas nas redes sociais sentiram que o vídeo alterou opiniões sobre a culpa ou inocência de Simpson. Sob lei dos Estados Unidos, uma pessoa não pode ser julgada duas vezes pelo mesmo crime.

    O advogado de Simpson, Malcolm LaVergne, disse que Simpson ficou “indiferente” sobre a transmissão.

    “Este conceito de Regan de 2006 de ‘Eu fiz isto’ dado a Simpson foi julgamento desprezível e deveria ser considerado uma praga nas casas de todos os envolvidos, incluindo os eventuais editores. O projeto de 2006 era um meio de ganhar dinheiro. Nada mais”, escreveu LaVergne no Twitter na noite de domingo.

    A mídia tradicional foi em maior parte crítica à Fox por ter transmitido a entrevista, que foi vista como uma tentativa de afastar espectadores da nova versão de “American Idol” na ABC, dois anos após o show de talentos terminar na Fox depois de 15 temporadas.

(Reportagem de Jill Serjeant)