Mercado fechado

Entenda por que esse aeroporto recebe 2 pousos de emergência por semana

O aeroporto de Bangor, nos EUA, recebe mais de 100 pousos de emergência por ano (Foto: Divulgação)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Pista e localização contribuem para que aeroporto no nordeste dos EUA seja ideal para emergências

  • Maioria dos pousos acontece por problemas de combustível; meteorologia está em segundo lugar

O aeroporto de Bangor, no Maine (EUA), faz apenas dez voos regulares por dia, em geral com pequenas naves comerciais de até 50 passageiros. Mesmo assim, é famoso pelos voos não programados que passam por lá: pelo menos duas vezes por semana, aeronaves fazem pousos de emergência no pequeno aeroporto.

Uma série de fatores torna Bangor ideal para as emergências. Primeiramente, sua localização no extremo nordeste dos Estados Unidos o torna a última opção de pouso para os voos que deixam o país em direção à Europa – e a primeira para aqueles que acabaram de cruzar o Oceano Atlântico.

Leia também

Apesar de só costumar receber aeronaves de pequeno porte como o Embraer 145 ou o Bombardier CRJ200, o aeroporto tem uma pista de 3.487 metros que o permite receber qualquer modelo de avião. Outros aspectos da infraestrutura de Bangor possibilitam os pousos emergenciais: mesmo sem voos internacionais regulares, a alfândega e a imigração do aeroporto funcionam 24 horas por dia.

Bangor também oferece serviço de suporte aos aviões muito maior do que aeroportos desse porte costumam oferecer: abastecimento, serviço de carga e facilidades para embarque e desembarque de passageiros são alguns exemplos. Na semana passada, foi anunciado um investimento de US$ 178 mil para melhorar ainda mais os serviços.

60,5% dos pousos de emergência em Bangor são feitos para reabastecer o combustível das aeronaves. Isso porque os fortes ventos na rota entre Europa e EUA reduzem a velocidade dos aviões, aumentando o consumo de combustível durante a viagem. Outros problemas comuns são as condições meteorológicas (21,7%) e a saúde dos passageiros (8,1%).