Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.313,73
    -117,32 (-0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Entenda por que as vendas da Honda desabaram no Brasil em 2022

Honda: montadora japonesa passou por um ano complicado no Brasil
Honda: montadora japonesa passou por um ano complicado no Brasil
  • Vendas da montadora japonesa despencaram de 81.446 em 2021 para 56.689 em 2022;

  • Redução no portfólio e reestruturação da marca fizeram com que oferta da Honda não emplacasse com os consumidores;

  • Para 2023, Honda planeja o lançamento de diversos modelos no Brasil; confira.

O mercado de automóveis brasileiro encerrou 2022 com números abaixo das estimativas mais conservadores para a indústria. O setor encolheu 0,7% em relação ao ano anterior e a Honda, uma das marcas mais populares entre os consumidores, fechou o ano ainda pior que seus concorrentes.

Em 2022, a fabricante japonesa vendeu 56.689 veículos. Em comparação, em 2021 a Honda emplacou 81.446 carros. Ou seja, entre um ano e outro houve uma queda de aproximadamente 30% nas vendas da montadora. O que aconteceu?

A empresa asiática ainda é afetada, assim como suas concorrentes, com as consequências da pandemia de COVID-19 de 2020, que viu uma crise na logística mundial e uma escassez de semicondutores, componentes eletrônicos essenciais na fabricação de diversos produtos, como celulares, computadores e automóveis.

Mas só isso não explica porque a montadora japonesa teve um desempenho tão ruim no Brasil. O grande problema da Honda se deu na redução de seu portfólio no país. Sumiram dos showrooms das concessionárias a linha Fit, WR-V, Acoord, CR-V e Civic.

Os modelos eram incrivelmente populares com seus determinados públicos, e a reestruturação da marca deixou os vendedores com dificuldades de atender a demanda dos consumidores. Durante boa parte do ano até, a chegada do HR-V, nos pátios da Honda só se encontrava o City sedan e hatch para comprar.

Para 2023, no entanto, a marca planeja diversos lançamentos para o mercado brasileiro, conforme o que foi apresentado no Salão do Automóvel de Los Angeles de 2022. Além do City e do HR-V, recém-lançados pela montadora, a Honda trará também a 11ª geração do Civic, o ZR-V, Civic Type-R e o CR-V híbrido.