Mercado abrirá em 5 h 12 min
  • BOVESPA

    119.371,48
    -690,52 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.092,31
    +224,69 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,00
    +0,57 (+0,93%)
     
  • OURO

    1.782,80
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    47.965,12
    -6.490,93 (-11,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.100,66
    -142,40 (-11,46%)
     
  • S&P500

    4.134,98
    -38,44 (-0,92%)
     
  • DOW JONES

    33.815,90
    -321,41 (-0,94%)
     
  • FTSE

    6.912,69
    -25,55 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    28.974,86
    +219,52 (+0,76%)
     
  • NIKKEI

    29.020,63
    -167,54 (-0,57%)
     
  • NASDAQ

    13.759,50
    +9,25 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5540
    +0,0124 (+0,19%)
     

Entenda o que fez a o varejo online na China superar o físico

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
happy girls watching phone in the shopping mall
happy girls watching phone in the shopping mall

A China se tornou o primeiro país do mundo em que vendas de comércio eletrônico ultrapassaram as vendas em lojas físicas, segundo estudo do órgão regulador americano Trade International Administration. Nos primeiros meses de 2021, as vendas feitas em lojas online foram maiores que a soma de todas as vendas feitas em lojas físicas.

O varejo online no país representa por mais de 50% de todos os pedidos online feitos no mundo. Além do coronavírus, que obrigou lojas físicas a ficarem meses de portas fechadas e mudou o comportamento dos consumidores, um dos motivos apontados como responsáveis pelo crescimento do e-commerce no país é o fortalecimento de um comércio social. 

Leia também:

A estimativa é que ele tenha crescido 44,1% na China no ano passado e cresça mais 35,5% neste ano, atingindo 363,26 bilhões de dólares. Nos Estados Unidos, o comércio social deve alcançar apenas 36,09 bilhões de dólares este ano. 

A ferramenta 'Mini Programs', da plataforma WeChat, que é como um Whatsapp com mais funções, se tornou muito popular no país asiático e, recentemente, sua interface começou a facilitar o comércio eletrônico de terceiros. O aplicativo permite que as empresas aproveitem melhor a base de usuários do WeChat e provaram ser extremamente populares entre comerciantes e consumidores. 

E a expectativa é de ainda mais crescimento, segundo a empresa de pesquisa de mercado eMarketer, a previsão é de um crescimento de 11% nas vendas online no próximo ano e espera que a barreira de 3 trilhões de dólares nas vendas de e-commerce seja ultrapassada em 2022.